O PAPEL DAS PAIXÕES TRISTES NA FORMAÇÃO DA MULTIDÃO EM ESPINOSA

Autores

  • Matheus Romero de Morais Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v2i37p133%20-%20146

Palavras-chave:

Espinosa, Antonio Negri, política, paixões tristes, multidão

Resumo

Há duas vias para se compreender o acordo entre os homens que culmina na constituição da multidão: a da razão e a dos afetos. Neste artigo nosso propósito é tematizar o papel dos afetos, mais especificamente os afetos tristes, na constituição da multitudo. Para tanto, partiremos da interpretação que Antonio Negri faz da obra política de Espinosa, a qual dá ênfase sobretudo a paixões alegres na criação do comum e indica uma tendência predominantemente democrática do projeto espinosano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-12-28

Como Citar

de Morais, M. R. (2020). O PAPEL DAS PAIXÕES TRISTES NA FORMAÇÃO DA MULTIDÃO EM ESPINOSA. Cadernos De Ética E Filosofia Política, 2(37), 133-146. https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v2i37p133 - 146