Calendários de mulheres nuas, batons e loções afrodisíacas: artefatos simbólicos e arquétipos ligados ao gênero, desejo e processos de dominação

Autores

  • Manuela Triani Gomes de Knegt Brière Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIASSELVI)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v39i2p69-79

Palavras-chave:

Lygia Pape, Maria Eugenia Chellet, Wanda Pimentel, Feminismo, Sexualidade

Resumo

O presente artigo trata de três obras de arte produzidas nas décadas de 1960 e 1970 por Lygia Pape, Wanda Pimentel e Maria Eugenia Chellet. Todas as três colocam em cena o corpo de mulheres ambientado em distintas situações onde discursos normativos da sexualidade e processos de dominação são evidenciados. As principais fontes de pesquisa para este artigo foram depoimentos das artistas, entrevistas, textos de exposições, além de uma literatura dirigida à sexualidade feminina e aos mecanismos de estabelecimento de relações de dominação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manuela Triani Gomes de Knegt Brière, Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIASSELVI)

Doutora em História da Arte, pela Universidade Paris La Sorbonne, título reconhecido pela USP, e Tutora EAD na Uniasselvi Centro Universitário.

Referências

BAUDRILLARD, Jean. Le Système des objets. Paris: Editions Gallimard, 1968.

BEAUVOIR, Simone. Le Deuxième sexe (1949). Paris: Gallimard, 2008.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Ci-vilização Brasileira, 2018.

FOUCAULT, Michel. Histoire de la Sexualité (1978). Paris: Gallimard, 2015.

Lygia Pape: Espaço Imantado, São Paulo, Pinacoteca de São Paulo, 2012.

MATAR, Denise. Lygia Pape: Intrinsecamente anarquista. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003.

MORAIS Frederico. Wanda Pimentel. Rio de janeiro: Silvia Roesler Edições de Arte, 2012.

Mulheres Radicais: arte latino-americana, 1960-1985, São Paulo, Pinacoteca de São Pau-lo, 2018.

SIQUEIRA, Vera Beatriz. « Maldito silêncio: o canto de Wanda Pimentel ». In: Concinni-tas, Rio de Janeiros, UFRJ, 2014, volume 01, número 24, julho de 2014. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/concinnitas/article/view/13268/10167

Acessado em: 22/05/2020.

Downloads

Publicado

2021-12-21

Como Citar

Brière, M. T. G. de K. (2021). Calendários de mulheres nuas, batons e loções afrodisíacas: artefatos simbólicos e arquétipos ligados ao gênero, desejo e processos de dominação. Cadernos De Ética E Filosofia Política, 39(2), 69-79. https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v39i2p69-79