Interações, espaços e ambientes utilizados por entendidas belorizontinas: um caminho velado

Autores

  • Janice Aparecida de Souza Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Alessandra Sampaio Chacham Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v39i2p80-91

Palavras-chave:

Cidade, Lésbicas, Envelhecimento, Invisibilidade, Redes de solidariedade

Resumo

Este artigo aborda a invisibilidade da homossexualidade feminina a partir da análise da experiência de uma “Confraria” de Lésbicas mineiras nascidas na década de 1950. O objetivo é refletir sobre os usos que faziam dos espaços e sobre as interações possíveis à época. Se é a partir dos processos de interação social que o sentido e o significado nas relações emergem, a forma pela qual a cidade acolhe ou ignora e invisibiliza determinados sujeitos impacta suas vidas. O modo pelo qual elas se apropriaram dos espaços disponíveis na cidade de Belo Horizonte e a criação de outros espaços mais reservados foram fundamentais para a criação de longevos vínculos de amizade e convivência. Tais vínculos parecem ter colaborado para uma rede de apoio mais estruturada na velhice formada por  relações de afeto, amizade e solidariedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Janice Aparecida de Souza, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais –PUC Minas. Professora concursada na Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Foi Superintendente de Políticas de Promoção de Direitos e Cidadania, Coordenadora da Casa de Direitos Humanos e Diretora de Orientação ao Trabalho no Governo do Estado de Minas Gerais.

Alessandra Sampaio Chacham, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Professora da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.Doutorado em Demografia pela Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil (1999)

Referências

BENEDICT, Burton. "Sociological Characteristics of Small Territories and their Implica-tions for Economic Development". In: BANTON, Michael (org.). The Social Anthropology of Complex Societies. London: Tavistock (A.S.A. Monographs 4), 1968.

BENJAMIN, Walter. Passagens. (org.) Willi Bolle. Belo Horizonte/São Paulo: UFMG/Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2009.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

DE SOUZA, Janice Aparecida. Estratégias de Escolarização de Homossexuais com Su-cesso Acadêmico. Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

DIAS, Maria Berenice. Rumo a um novo direito. In: DIAS, Maria Berenice (org). Diversi-dade Sexual e Direito Homoafetivo. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2011, p. 249-263.

ERIBON, Didier. Reflexões sobre a questão gay. Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 2008.

FORTUNA, Carlos. Urbanidades invisíveis. Tempo Social, Revista de sociologia da USP, v. 31, n. 1, p. 135-151, abr. 2019 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702019000100135&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 12/02/2020

GUIMARÃES, Carmen. O homossexual visto por entendidos. Rio de Janeiro: Editora Gara-mond, 2004.

JÚNIOR, Enézio de Deus Silva. Homofobia e Violência Doméstica. In: DIAS, Maria Berenice (org). Diversidade Sexual e Direito Homoafetivo. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2011, p. 495-510

MAGNANI, José Guilherme. Festa no pedaço: cultura popular e lazer na cidade. 1ª Ed. São Paulo: Brasiliense, 1998.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. De perto e de dentro: notas para uma etnografia urbana. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo , v. 17, n. 49, p. 11-29, jun. 2002 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69092002000200002&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 12/02/2020

MARQUES, E. “Elementos conceituais da segregação urbana e da ação do Estado”. In: MARQUES, E. e TORRES, H. (org.). São Paulo: segregação, pobreza urbana e desigualdade social. São Paulo: Senac, 2005.

MAYER, Adrian C. A Importância dos “quase grupos” no estudo das sociedades comple-xas. C. FELDMAN-BIANCO, Bela (org.). Antropologia das sociedades contemporâneas. São Paulo: Global Universitária, 1987.

MERLEAU-PONTY, Maurice. “De Mauss a Claude Lévi-Strauss”. Textos Selecionados, São Paulo: Abril Cultural (Coleção Os Pensadores), 1984.

MORROW, D. F., & MESSINGER, L. (Eds.). Sexual orientation and gender expression in social work practice: Working with gay, lesbian, bisexual, and transgender people. New York: Co-lumbia University Press, 2006.

L. MOORE, H. Fantasias de poder e fantasias de identidade: gênero, raça e violên-cia. Cadernos Pagu, n. 14, p. 13-44, 2000.

NAVARRO-SWAIN, T. O que é lesbianismo. São Paulo: Brasiliense, 2004.

PARK, Robert E. A cidade: sugestões para investigação do comportamento humano no meio urbano. In: VELHO, O. (org.). O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Zahar, 1973.

TEIXEIRA, Alexandre Eustáquio. Territórios homoeróticos em Belo Horizonte: um es-tudo sobre interações sociais nos espaços urbanos. 2003. Dissertação (Mestrado em Ciên-cias Sociais) Pontifícia Universidade Católica de Mina Gerais, Belo Horizonte, 2003.

VELHO, Gilberto. “Observando o familiar”. In: Individualismo e cultura. Rio de Janeiro: Zahar, 1987.

WIRTH, L. O urbanismo como modo de vida. Traduzido por: Marina Côrrea Treuherz. In: VELHO, Otávio (org.), O Fenômeno Urbano. Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar, 1979, p. 90 –113.

Downloads

Publicado

2021-12-21

Como Citar

Souza, J. A. de, & Chacham, A. S. (2021). Interações, espaços e ambientes utilizados por entendidas belorizontinas: um caminho velado. Cadernos De Ética E Filosofia Política, 39(2), 80-91. https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v39i2p80-91