A teoria dos humores de Maquiavel: a relação entre o conflito e a liberdade

  • Lairton Moacir Winter
Palavras-chave: Maquiavel – Humores antagônicos – Conflito civil – Liberdade – República

Resumo

O objetivo deste trabalho consiste em analisar o lugar que o conflito de grandes e povo, circunscrito pela teoria dos humores, ocupa no pensamento político de Maquiavel e investigar a sua relação com a liberdade política. A hipótese central é a de que a liberdade somente pode ser alcançada mediante um ponto de equilíbrio entre as forças em conflito. Para isso, é necessário que o conflito, não sendo anulado, seja racionalmente regulado e normalizado pelas instituições republicanas, convertendo-se de força negativa em força capaz de fazer convergir no Estado o bem comum, a ordem social e a liberdade de todo o corpo político. A lei republicana, nascida do permanente confronto dos desejos antagônicos, subverte o caráter negativo dos humores de grandes e povo e canaliza sua força para a vida política, exigindo cidadania ativa de seus membros, isto é, a participação de ambos os humores no espaço público como agentes políticos para a manutenção da liberdade. Para esclarecê-lo, procuramos demonstrar as características do conflito dos humores, de acordo com as quais o desejo dos grandes se confunde com um desejo de poder, enquanto o desejo do povo se associa à liberdade. Para Maquiavel a verdadeira liberdade política somente é possível quando os humores antagônicos podem desafogar seus desejos mediante sua participação no espaço público dos debates e das decisões coletivas, o que pode ocorrer apenas num regime republicano.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Winter, L. (1). A teoria dos humores de Maquiavel: a relação entre o conflito e a liberdade. Cadernos De Ética E Filosofia Política, 2(19), 43-75. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/cefp/article/view/55738
Seção
Artigos