Marquês de Sade: o sensualismo em sua forma máxima

Autores

  • Clara Carnicero de Castro

Palavras-chave:

Marquês de Sade (1740-1814) – filosofia moderna – sensualismo – sensação e energia – sentimento de existência

Resumo

Os resultados das teorias das paixões e, mais especificamente, do determinismo sensorial de Étienne de Condillac culminaram na procura do sentimento da existência. Tal idéia propunha a maximização da sensação por meio de um aumento energético. Neste artigo, pretendo percorrer as teorias passionais dos séculos XVII e XVIII para mostrar como Sade se insere nessa tradição. Através da hipótese de que o crime sadiano é gerado pela necessidade de buscar uma energia máxima, a fim de apreender um sentimento mais vivo da existência de si mesmo, defendo que o marquês opera uma síntese de pensamento, elevando ao ápice as conseqüências do sensualismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Castro, C. C. de. (2009). Marquês de Sade: o sensualismo em sua forma máxima. Cadernos De Ética E Filosofia Política, 2(15), 85-104. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/cefp/article/view/82609

Edição

Seção

Artigos