John Kerry vai ao Quênia: por trás das ameaças de fechamento dos campos de refugiados de Dadaab

Autores

  • Beatriz de Barros Souza Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2595-2536.v26i1p223-233

Palavras-chave:

África, Campos de Refugiados, Direito humanitário, Fronteira, Migrações

Resumo

O maior complexo de campos de refugiados do mundo, situado em Dadaab, província de Garissa, no Quênia, sofreu novas ameaças de fechamento abrupto pelo governo queniano em abril de 2015. Buscando evidenciar a importância de se desenvolverem estudos sobre os campos de refugiados também na América Latina,  cujas fronteiras recebem maiores fluxos migratórios com o crescente cerceamento de Estados centrais à mobilidade periférica, embora essa política não se tenha firmado, esta pesquisa investiga questões subjacentes a essas ameaças com base em um breve histórico da atuação da comunidade internacional nesse campo para se proceder à análise das relações bilaterais do Quênia com os Estados Unidos, historicamente e nesse caso específico. Ao final, serão apontadas possibilidades de encerrar as operações nos campos em consonância com o Direito Internacional Humanitário

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz de Barros Souza, Universidade de São Paulo

Pós-graduanda na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo

Downloads

Publicado

2016-02-22

Como Citar

Souza, B. de B. (2016). John Kerry vai ao Quênia: por trás das ameaças de fechamento dos campos de refugiados de Dadaab. Cadernos CERU, 26(1), 223-233. https://doi.org/10.11606/issn.2595-2536.v26i1p223-233

Edição

Seção

Dossiê Amazônia