O evismo doze anos depois: revolução burguesa nos marcos de uma economia dependente

Autores

  • Diego Pereira de Siqueira USP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2595-2536.v28i2p104-144

Palavras-chave:

Evismo. Bolívia. Padrão primário-exportador. Burguesia indígena.

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar o governo de Evo Morales na Bolívia e explicar as razões de seu aparente sucesso no contexto de crise do chamado “ciclo progressista” na América do Sul. Tendo como base o conceito de padrão de reprodução do capital, o artigo mostra que o evismo constituiu-se como a forma política mais adequada ao aprofundamento do padrão primário-exportador da economia boliviana. Adicionalmente, o evismo ampliou as bases de sustentação desse padrão ao promover ativamente a ascensão de uma nova pequena burguesia de origem indígena.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Pereira de Siqueira, USP

Professor universitário, Mestre em Ciências pelo Programa de Integração da América Latina (Prolam) da USP, Doutorando em Ciências pelo mesmo programa, tradutor e revisor.

Downloads

Publicado

2018-01-31

Como Citar

Siqueira, D. P. de. (2018). O evismo doze anos depois: revolução burguesa nos marcos de uma economia dependente. Cadernos CERU, 28(2), 104-144. https://doi.org/10.11606/issn.2595-2536.v28i2p104-144

Edição

Seção

Dossiê Amazônia