Interculturalidade na Escola Pública de São Paulo

Autores

  • Elbio Miyahira Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
  • Karoline Rezende Sayar Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2595-2536.v31i1p250-267

Palavras-chave:

Multiculturalismo, Interculturalismo, Imigração, Imigrante boliviano, Escola pública, São Paulo

Resumo

Este texto procura analisar como se dá a relação entre os estudantes imigrantes bolivianos ou filhos de bolivianos e os estudantes brasileiros em uma escola pública da cidade de São Paulo e como a escola trabalha essa questão. Pesquisas anteriores demonstraram que havia uma grande indiferença à presença dos alunos imigrantes por parte dos professores e da direção em algumas escolas públicas de São Paulo. Com isso não havia uma ação pedagógica específica para tratar as particularidades dos imigrantes. Também não se buscava regular a relação entre os grupos evitando a prática de bullying e, muito menos, se buscava promover uma integração entre os grupos. Realizou-se a observação de classe durante quatro semanas seguidas em duas turmas (oitavo e nono anos) de uma escola estadual da região central da cidade de São Paulo. Verificou-se que a escola observada criou um ambiente multicultural, no sentido de desenvolver uma convivência mais pacífica entre as diferentes culturas, mas ainda não conseguiu construir um ambiente de interação e integração entre os grupos. Constatou-se a utilização de práticas pedagógicas que contribuem para a convivência entre os grupos, mas verificou-se que ainda há muitas ações que poderiam ser desenvolvidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elbio Miyahira, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Mestre em Educação pelo Programa de Educação: História, Política, Sociedade da PUC-SP, atualmente doutorando do mesmo Programa.

Karoline Rezende Sayar, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Mestre em Educação pelo Programa de Educação: História, Política, Sociedade da PUC-SP.

Referências

AQUINO, J. G. (1998). A indisciplina e a escola atual. Disponível em: .

Acesso em: 23abr. 2019.

BACKSTROM, B.; CASTRO-PEREIRA, S. (2012). "A questão migratória e as estratégias de

convivência entre culturas diferentes em Portugal". Revista Interdisciplinar da Mobilidade

Humana. Brasília, ano XX, n. 38, jan/jun. 2012. p. 83-100.

DUBET, F. (2004). "O que é uma escola justa?". Cadernos de Pesquisa, São Paulo, Fundação

Carlos Chagas, v. 34, n.123, set/dez. p. 539-555.

ELIAS, N.; SCOTSON, J. L. (2000).Os estabelecidos e os outsiders. Rio de Janeiro: Zahar.

FERNADEZ, C. C. G. (2015). Entre dois países, sonhos e ilusões: trajetórias de e/imigrantes bolivianos em São Paulo (1980-2000). Tese (Doutorado), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

FLORES, G. C. (2017). "Igualdad y equidad en educación: retos para una AmericaLatina en transición". Educación. vol. XXVI, n. 51, sept. 2017. p.159-178.

HALL, S. (2003). Da diáspora - identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG/ Brasília: Representação da UNESCO no Brasil.

LOPES, A. M. D. (2012). "Da coexistência à convivência com o outro: entre o multiculturalismo e a interculturalidade". Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana.

Brasília, ano XX, n. 38, jan/jun. p. 67-81.

MARTUCCELLI, D. (1996). "As contradições políticas do multiculturalismo". Revista Brasileira de Educação. mai/jun/jul/ago, n. 2, p. 18-32.

MIYAHIRA, E. (2015). Relação entre professor e família: um estudo sobre alunos bolivianos e nordestinos na escola pública. Dissertação (Mestrado), Pontifícia Universidade Católica de

São Paulo, São Paulo.

OLIVEIRA, L. R. P. (2013). Encontros e confrontos na escola: um estudo sobre as relações sociais entre alunos brasileiros e bolivianos em São Paulo. Dissertação de mestrado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

SANSONE, L. (2003). "Multiculturalismo, Estado e modernidade: as nuanças em alguns países

europeus e o debate no Brasil". DADOS – Revista de Ciências Sociais. Rio de Janeiro, vol. 46, n.3, p. 535-556.

SAYAD, A. (2010). La doble ausencia – De las ilusiones del emigrado a los padecimentos del inmigrado. Barcelona: Anthropos editorial.

SILVA, T. T. (2014). "A produção social da identidade e da diferença". In: SILVA, T. T. (Org.). Identidade e diferença - a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, p. 73-102.

SOARES, L. N.; SILVA, S. A. (2013). "Relações étnico-raciais e educação infantil: ouvindo crianças e adultos".Anais da 36ª R.N. ANPED. Goiânia: ANPED. VITA, A. (2002). "Liberalismo igualitário e Multiculturalimo". Lua Nova. n. 55-56, p. 5-27.

XAVIER, I. R.(2012). "A inserção socioterrritorial de migrantes bolivianos em São Paulo. Uma leitura a partir da relação entre projetos migratórios, determinantes estruturais e os espaços da cidade ". In: BAENINGER, R. (Org.) Imigração boliviana no Brasil. Campinas: Núcleo de Estudos de População - NEPO/Unicamp, p. 109-153.

Downloads

Publicado

2020-09-03

Como Citar

Miyahira, E., & Sayar, K. R. (2020). Interculturalidade na Escola Pública de São Paulo. Cadernos CERU, 31(1), 250-267. https://doi.org/10.11606/issn.2595-2536.v31i1p250-267