O processo de (in)dependência do adulto jovem

Autores

  • Maria Lucia de Souza Campos Paiva Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2595-2536.v31i2p149-156

Palavras-chave:

Adulto jovem, Família, Relações familiares, Autonomia

Resumo

Na atualidade, muitos adultos jovens prolongam sua permanência na casa de seus familiares. São inúmeras as razões que podem explicar tal fenômeno. O presente artigo aborda a questão com base no desenvolvimento emocional da independência do sujeito e como a educação pode propiciar, no âmbito familiar, o surgimento de um sujeito autônomo e independente na vida adulta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Lucia de Souza Campos Paiva, Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia

Pedagoga, psicóloga clínica, psicanalista, doutora em Psicologia Clínica do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo.

Referências

KAMII, C. A criança e o número. São Paulo: Papirus, 1986.

MENDONÇA, H. Geração canguru, os jovens que escolheram não sair da casa dos pais.

El Pais, 5 de jun. 2017. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/06/05/politica/1496687911_980154.html. Acesso em: 20nov. 2020.

MENDONÇA, M. Mordomias na casa dos pais. Época, São Paulo, n. 332, p.76-82, 27 set. 2004.

WINNICOTT, D. W. A capacidade de estar só. In: WINNICOTT, D. W. (1990) O ambiente e os processos de maturação. Porto Alegre: Artes Médicas, (1958) 1990.

WINNICOTT, D. W. Da dependência à independência no desenvolvimento do indivíduo.

In: WINNICOTT, D. W. O ambiente e os processos de Maturação. Porto Alegre: Artes

Médicas, (1963) 1990.

Downloads

Publicado

2020-08-16

Como Citar

Paiva, M. L. de S. C. (2020). O processo de (in)dependência do adulto jovem. Cadernos CERU, 31(2), 149-156. https://doi.org/10.11606/issn.2595-2536.v31i2p149-156