Pesquisa (auto) biográfica, educação e saúde docente: escritas de formação e refiguração identitária

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2595-2536.v32i1p99-126

Palavras-chave:

Pesquisa (auto)biográfica, Educação, Saúde docente, Refiguração

Resumo

O texto sistematiza questões relacionadas à pesquisa (auto)biográfica no campo da Educação, centrando-se na discussão da escrita do diário como dispositivo de pesquisa-formação e suas implicações com condições de trabalho e adoecimento docente. Objetiva-se ampliar o debate sobre possibilidades do uso do método (auto)biográfico e desafios na contemporaneidade, especialmente, no que se refere ao fenômeno do adoecimento docente e a suas interfaces com o mundo do trabalho. Utilizamos como corpus de análise diários de cinco professores, analisando-os numa perspectiva interpretativa-compreensiva. As narrativas dos docentes, construídas nos diários, evidenciam experiências do adoecer e suas interfaces com condições objetivas e subjetivas do trabalho, inscritas num projeto de refiguração da vida-profissão, mediado pela escrita de si como dispositivo de resistência, de aprendizagens com a doença e disposições de cuidado de si.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elizeu Clementino de Souza, Universidade do Estado da Bahia

Pesquisador 1B do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Professor titular do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEduC) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Coordenador do Grupo de Pesquisa (Auto)biografia, Formação e História Oral (GRAFHO) da UNEB.

Rosiane Costa de Sousa, Universidade do Estado da Bahia

Professora da Rede Municipal de Valença (BA). Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEduC) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Membro do Grupo de Pesquisa (Auto)biografia, Formação e História Oral (GRAFHO) da UNEB.

Referências

ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. Pesquisa (auto)biográfica – tempo, memória e narrativas. In: ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto (Org.). A aventura(auto)biográfica: teoria & empiria. Porto Alegre: EDIPUCRS,2004.p. 201-224.

AMORIM-JUNIOR, Cléber Nilson. Segurança e saúde no trabalho: princípios norteadores. São Paulo: LTr, 2017.

APPLE, M. W. Poder, significado e identidade: ensaios de estudos educacionais críticos. Tradução de Ana Paula Barros e Cecília Mendes. Porto: Porto Editora, 2003.

ARAÚJO, Tânia Maria de.; PINHO, Paloma de Sousa; MASSON, Maria Lucia Vaz. Trabalho e saúde de professoras e professores no Brasil: reflexões sobre trajetórias das investigações, avanços e desafios. Cad. Saúde Pública, Rio de janeiro, 35, Suplemento 1, 2019, p.1-14. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v35s1/1678-4464-csp-35-s1-e00087318.pdf. Acesso em: 26 set. 2020.

ARAÚJO, TâniaMaria de.; CARVALHO, Fernando Martins. Condições de trabalho docente e saúde na Bahia: estudos epidemiológicos. Educ. Soc., Campinas, V. 30, n. 107, p. 427-449, maio/ago. 2009. Disponível em: https://www.cedes.unicamp.br/publicacoes/edicao/83. Acesso em: 17 set. 2020.

ASSUNÇÃO, Ada Ávila.; OLIVEIRA, Dalila Andrade. Intensificação do trabalho e saúde dos professores. Educ. Soc., Campinas, vol. 30, n. 107, p. 349-372, maio/ago. 2009. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: 12 maio 2020.

BARROS, Maria Elizabeth Barros de; HECKERT, Ana Lúcia Coelho; MARGOTO, Lilian. Trabalho e saúde do professor: cartografias no percurso. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008.

CANDAU, Joël. Memória e identidade. Tradução de Maria Letícia Ferreira. 1ª edição. 5ª reimpressão. São Paulo: contexto, 2019.

CLANDININ, D. Jean; CONNELLY, F. Michael. Pesquisa narrativa: experiência e história em pesquisa qualitativa. Uberlândia: EDUFU, 2015.

CUNHA, Maria Teresa Santos. Do baú ao arquivo: escritas de si, escritas do outro. Revista Patrimônio e Memória. UNESP – FCLAs – CEDAP, v.3, n.1, 2007, p. 45-62. Disponível em: http://pem.assis.unesp.br/index.php/pem/article/view/8/455. Acesso em: 17 maio 2021.

DEJOURS, Christophe. A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. São Paulo: Cortez – Oboré, 2002.

DELORY-MOMBERGER, Christine. A condição biográfica: ensaios sobre a narrativa de si na modernidade avançada. Natal, RN: EDUFRN, 2012.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Biografia e educação: figuras do indivíduo-projeto. Natal, RN: EDUFRN, 2014.

DELORY-MOMBERGER, Christine. A experiência da doença: um tocar do existir. Revista da FAEEBA–Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 25, n. 46, maio/ago. 2016, p. 25-31.

Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/2698 Acesso em: 15 set. 2020.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade 3: o cuidado de si. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque. 15ª edição. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2017.

GAULEJAC, Vicent de. Gestão como doença social: ideologia, poder gerencialista e fragmentação social. Tradução de Ivo Storniolo – Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2020.

GAULEJAC, Vicent de. La historia que heredamos: novela familiar y trayectoria social. Buenos Aires: Del Nuevo Extremo, 2018. Libro digital, EPUB.

HELMAN, Cecil G. Cultura, Saúde e Doença. Porto Alegre: Artmed, 2009.

HESS, Remi. Momento do diário e diário dos momentos. In: SOUZA, Elizeu Clementino; ABRAHÂO, Maria Helena Menna (orgs). Tempos, narrativas e ficções: a invenção de si. Porto Alegra: EDIPUCRS: EDUNEB, 2006. p. 89-103.

HYPÓLITO, Álvaro Moreira. Trabalho docente na educação básica no Brasil: as condições de trabalho. In: OLIVEIRA, Dalila Andrade. VIEIRA, Lívia Fraga. Trabalho na Educação

Básica: a condição docente em sete estados Brasileiros. Belo Horizonte, MG: Fino Traço, 2012. p. 211-229.

HOLLY, Mary Louise. Investigando a vida profissional dos professores: diários biográficos. In: NÓVOA, António. Vidas de professores. 2ª edição. Porto, Portugal: Porto Editora, 2007. p. 79-110.

JOSSO, Marie Christine. As narrações do corpo nos relatos de vida e suas articulações com os vários níveis de profundidade do cuidado de si. In: VICENTINI, Paula Perin; ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto (orgs.). Sentidos, potencialidades e usos da (auto)biografia. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010a. p. 171-192.

JOSSO, Marie Christine. Experiências de Vida e Formação. Tradução de José Cláudio, Júlia Ferreira; revisão científica Maria da Conceição Passeggi, Marie-Christine Josso– 2.ed.rev. e ampl. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010b.

JOVCHELOVITCH, Sandra; BAUER, Martin W. Entrevista narrativa. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George (orgs.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Tradução de Pedrinho A. Guareschi. 13 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015. p. 90-113.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: de Rousseau à internet. Tradução de Jovita Maria Gerheim Noronha e Maria Inês Coimbra Guedes. 2ª edição. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

MARCHESI, Álvaro; MARTÍN, Elena. Qualidade do ensino em tempos de mudança. Tradução de Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2003.

NÓVOA, António. Os professores e as histórias da sua vida. In: NÓVOA, António (org.). Vidas de Professores. 2ª edição. Porto, Portugal: Porto Editora, 2007. p. 11-30.

OLINDA, E. M. B.; PINTO, E. C. B. O círculo reflexivo biográfico na pesquisa com jovens da periferia de Maracanaú-CE. Revista @mbienteeducação. São Paulo: Universidade Cidade de São Paulo, v. 12, n. 2, p. 263-286 mai/ago 2019. Disponível em: http://publicacoes.unicid.edu.br/index.php/ambienteeducacao/article/viewFile/718/675 Acesso em: 17 set. 2020.

OLIVEIRA, Dalila Andrade; VIEIRA, Lívia Fraga. (Orgs). Trabalho docente na educação básica: a condição docente em sete estados brasileiros. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Dia Mundial da Saúde Mental 2017 - Saúde mental

no local de trabalho. Disponível em: https://www.who.int/mental_health/world-mental-health-

day/2017/es/. Acesso em: 10 jan. 2019.

PASSEGGI, Maria da Conceição. Mediação biográfica: figuras antropológicas do narrador e do formador. In: PASSEGGI, Maria da Conceição; BARBOSA, Tatyana Mabel Nobre (orgs.). Memórias, memoriais e formação docente. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2008. p. 43-59.

PASSEGGI, Maria da Conceição. Narrativas da experiência na pesquisaformação:1 do sujeito epistêmico ao sujeito biográfico. Roteiro, Joaçaba, v. 41, n. 1, p. 67-86, jan./abr. 2016. Disponível em: Acesso em:< https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/9267/pdf>. Acesso em: 22 maio 2020.

PASSEGGI, Maria da Conceição; SOUZA, Elizeu Clementino de; VICENTINI, Paula Perin. Entre a vida e a formação: pesquisa (auto)biográfica, docência e profissionalização. Educação em Revista. Belo Horizonte. v.27, n.01, p. 369-386, abr. 2011. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/382 : Acesso em: 26 set. 2020.

PINEAU, Gaston. Temporalidades na formação: rumo a novos sincronizadores. São Paulo: TRIOM, 2004.

RAGO, Margareth. A aventura de contar-se: feminismos, escrita de si e invenções da subjetividade. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2018.

RICOEUR, Paul. Narrative Identity. Philosophy Today, 35:1,p. 73-81, 1991. Disponível em:<https://pt.scribd.com/doc/24868946/Paul-Ricoeur-Narrative-Identity>. Acesso em: 27 out. 2017.

RICOUER, Paul. Identidade frágil: respeito pelo outro e identidade cultural. Disponível em:

https://www.uc.pt/fluc/uidief/textos_ricoeur/identidade_fragil?web=1&wdLOR=c5C22EB32-67C7-47F4-9831-7CC1D8FE817D. Acesso em: 17 maio 2021.

RICOUER, Paul. Compreensão de si e história. Disponível em: https://www.uc.pt/fluc/uidief/textos_ricoeur/autocomprehensio_et_histoire?web=1&wdLOR=cE2C0DAAA-925B-495E-9D63-

F1B84E6346A1. Acesso em: 17 maio 2021.

RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa 1: a intriga e a narrativa histórica. Tradução de Claudia Berliner. 2ª tiragem. São Paulo: Editora WMF; Martins Fontes, 2012a.

RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa 3: o tempo narrado. Tradução de Claudia Berliner. 2ª tiragem. São Paulo: Editora WMF; MartinsFontes, 2012b.

RICOEUR, Paul. Percurso do reconhecimento. Tradução de Nicolás Nyimi Campanário. 2ª reimpressão. São Paulo: Edições Loyola, 2017.

RICOEUR, Paul. O si-mesmo como outro. Tradução de Ivone C. Benedetti. 2ª tiragem. São Paulo: Editora WMF; Martins Fontes, 2019.

SOUSA, Rosiane Costa de. Refigurar a vida-profissão: (auto)biografia, condições de trabalho e adoecimento. 2021. 297f. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-graduação em Educação e Contemporaneidade, Departamento de Educação, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2021.

SOUZA, Elizeu Clementino de. Histórias de vida, narrativas, conhecimento de si, representações da docência. In: ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto (Org.). A aventura (auto)biográfica: teoria & empiria. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004. p. 387-417.

SOUZA, Elizeu Clementino de. O conhecimento de si: estágio e narrativas de formação de professores. Rio de Janeiro: DP&A; Salvador: UNEB, 2006.

SOUZA, Elizeu Clementino de; CORDEIRO, Verbena Maria Rocha. Histórias a contrapelo: escritas de si, (auto)biografia e formação de leitores. Anais. Colloque international (1986-2007): Le biographique, la réflexivité et les temporalités-Articuler langues, cultures et formation,Tours/França, 2007. Disponível em: http://alb.org.br/arquivo-morto/edicoes_anteriores/anais16/sem07pdf/sm07ss07_04.pdf. Acesso em: 17 maio 2021.

SOUZA, Elizeu Clementino de. Diálogos cruzados sobre pesquisa (auto)biográfica: análise compreensiva-interpretativa e política de sentido. Educação. Santa Maria | v. 39 | n. 1 | p. 39-50 | jan./abr. 2014 | educação. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5902/1984644411344. Acesso em: 17 maio 2021.

SOUZA, Elizeu Clementino de. Existir para resistir: (auto)biografia, narrativas e aprendizagens com a doença. Revista da FAEEBA–Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 25, n. 46, p. 25-31, mai./ago, 2016. Disponível em: <https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/download/2698/1827>. Acesso em: 15 mar. 2017.

SOUZA, Elizeu Clementino de. O que será que será? Estigmas, refiguração identitária e narrativas biográficas. In: SOUZA, Elizeu Clementino de; VICENTINI, Paula Perin; LOPES, Celi Espasadin. Vida, narrativa e resistência: biografização e empoderamento. Curitiba: CRV, 2018. p. 43-62.

Downloads

Publicado

2021-08-07

Como Citar

Souza, E. C. de ., & Sousa, R. C. de . (2021). Pesquisa (auto) biográfica, educação e saúde docente: escritas de formação e refiguração identitária. Cadernos CERU, 32(1), 99-126. https://doi.org/10.11606/issn.2595-2536.v32i1p99-126