Análise documental como ferramenta metodológica em história da educação: um olhar para pesquisas locais.

Autores

  • José Edimar de Souza Universidade de Caxias do Sul
  • Cristian Giacomoni Universidade de Caxias do Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2595-2536.v32i1p139-156

Palavras-chave:

Análise documental, História da Educação, Metodologias de pesquisa

Resumo

Este estudo investiga abordagem metodológica da análise documental em pesquisas qualitativas de fenômenos sociais. Trata-se de um estudo do campo da História da Educação cuja abordagem epistemológica é inspirada na perspectiva da História Cultural. Nesse sentido, a mobilização conceitual procura dar sentido e significar as fontes documentais tratadas pelos autores ao compor seus objetos de investigação. A discussão está organizada com base em dois eixos, o primeiro analisa as diferentes formas e usos desta metodologia em pesquisas das áreas humanas e sociais, os critérios teóricos e metodológicos que o pesquisador deve compreender ao trabalhar com este tipo de fonte, bem como algumas sugestões metodológicas para efetivação de pesquisas em História da Educação; o segundo  refere-se ao modo como os autores operacionalizaram, buscaram acessar e inventariaram os documentos históricos, bem como apresenta os acervos acessados e as formas de categorização diante do conjunto empírico documental histórico compulsado. Entendemos que análise e interpretação dos dados devem estar alinhadas epistemologicamente e teoricamente com as escolhas realizadas no desenvolvimento da pesquisa. Além disso, considera-se que o trabalho do pesquisador contemporâneo se torna mais complexo diante das muitas possibilidades de fontes que podem constituir análise documental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Edimar de Souza, Universidade de Caxias do Sul

Doutor em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (São Leopoldo). Professor e pesquisador da Área de Humanidades e do Programa de Pós-Graduação em Educação e Programa de Pós-Graduação em História da Universidade de Caxias do Sul (Caxias do Sul)

Cristian Giacomoni, Universidade de Caxias do Sul

Doutorando em Educação na Universidade de Caxias do Sul (UCS), bolsista CAPES/PROSUC. Mestre em Educação e pesquisador da Área de Humanidades e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UCS.

Referências

ALBERTI, Verena. Fontes. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; OLIVEIRA, Margarida Maria Dias de. (Coord.). Dicionário de ensino de história. Rio de Janeiro: FGV, 2019.

ACIOLI, Vera Lúcia Costa. A escrita no Brasil colônia: um guia para leitura de documentos manuscritos. Recife: Universitária, 1994.

BARRIGA, Omar; HENRÍQUEZ, Guilhermo. La representación del objeto de estudo: reflexiones desde la práctica docente. Cinta de Moebio, Santiago, Chile, n. 17, p. 77-85, 2003. Disponível em: https://www.moebio.uchile.cl/17/barriga.html Acesso: 6 maio 2021.

BORGES, Vavy Pacheco. O que é história. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BRASIL. Lei nº 5.433, de 8 de maio de 1968. Regula a microfilmagem de documentos oficiais e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L5433.htm . Acesso em: 15 out. 2019.

BRASIL. Decreto nº 1.799, de 30 de janeiro de 1996. Regulamenta a Lei n° 5.433, de 8 de maio de 1968, que regula a microfilmagem de documentos oficiais, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/Antigos/D1799.htm . Acesso em: 15 out. 2019.

CALADO, Sílvia dos Santos; FERREIRA, Sílvia Cristina dos Reis. 2005. Análise de documentos: método de recolha e análise de dados. Texto distribuído na disciplina Metodologia da Investigação I, no PPG da Educação–UNISINOS, no 2º semestre de 2010.

CELLARD, André. A análise documental. In: POUPART, Jean et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 295-316.

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. Tradução de Maria de Lourdes Menezes, Revisão técnica de Arno Vogel. 3ª. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011.

CHARTIER, Roger. À beira da falésia: a história entre incertezas e inquietude. Trad. Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Universidade, 2002.

DE LUCA, Tânia Regina. Práticas de pesquisa em história. São Paulo: Contexto, 2020.

FARGE, Arlete. O sabor do arquivo. Tradução de Fátima Murad. São Paulo: EDUSP, 2009.

FOUCAULT. Michel. Sobre a Arqueologia das Ciências. Resposta ao Círculo da Epistemologia. In: Ditos e Escritos. Vol. II. 2ª. ed., RJ: Forense Universitária, 2005. p. 82-118.

GARCIA, Rosicleide Rodrigues. Estudo paleográfico e codicológico dos documentos de Capivari do século XIX. Filologia e Linguística Portuguesa, São Paulo: USP, n. 10-11, p.173-187, 2008/2009.

GARCIA, Rosicleide Rodrigues; SILVA, Andrezza Bezerra da. Testemunhos da educação no interior de São Paulo no Século XIX: relatos provenientes do labor filológico. Linguagem. Estudos e Pesquisas, Catalão-GO, v. 16, n. 1-2, p. 289-310, jan./dez. 2012.

GATTI JÚNIOR, Décio; PESSANHA, Eurize Caldas. Currículos, práticas e cotidiano escolar: a importância dos arquivos escolares para a produção de conhecimento em história da educação. História da educação, ASPHE/FaE/UFPel, Pelotas, v. 14, n. 31, p. 155-191, maio/ago 2010.

GIACOMONI, Cristian. A Educação Física no ensino primário: memórias de professoras e alunos da Escola Giuseppe Garibaldi - Caxias do Sul/RS (1974-1989). 2018. 173f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, 2018.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Tradução de Bernardo Leitão et al. 6ª.ed. Campinas: Unicamp, 2012.

LUCHESE, Terciane Ângela. Modos de fazer história da educação: pensando a operação historiográfica em temas regionais. História da Educação, Porto Alegre, v. 18, n. 43, p. 145-161, mai./ago. 2014.

MAGALHÃES, Justino Pereira de. Um apontamento metodológico sobre a história das instituições educativas. In: SOUSA, Cinthia Pereira de; CATANI, Denice Bárbara. (Orgs.). Práticas educativas, culturas escolares, profissão docente. São Paulo: Escrituras, 1998. p.51-69.

MAGALHÃES, Justino Pereira de. A construção de um objeto do conhecimento histórico. Do arquivo ao texto: a investigação em história das instituições educativas. Educação UNISINOS, São Leopoldo, v. 2, n. 11, p. 69-74, mai./ago. 2007.

MORAES, José Geraldo Vinci de; GAMBETA, Wilson. Michel de Certeau: pensador das diferenças. In: REGO, Teresa Cristina et alii. (Org.). Memória, história e escolarização. Petrópolis, RJ: Vozes/São Paulo, SP: Revista Educação/Segmento, 2011. p.157-182.

PEREIRA, Nilton Mullet; GRAEBIN, Cleusa Maria Gomes. Abordagem temática no ensino de história. In: BARROSO, Véra Lucia Maciel et alii. (Org.). Ensino de história. Desafios contemporâneos. Porto Alegre: EST/Exclamação: ANPHU/RS, 2010.p. 169-183.

PIMENTEL, Alessandra. O método da análise documental: seu uso numa pesquisa historiográfica. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 114, p. 179-195, nov. 2001.

ROCKWELL, Elsie. Imaginando lo no-documentado: del archivo a la cultura escolar. In: CERECEDO, Alicia Civera; ESCALANTE, Carlos; LAFARGA, Luz Elena Galván (Coords.). Debates y desafios em la historia de la educación em México. Zinacantepec, Estado de México: El Colegio Mexiquense, A.C.: Instituto Superior de Ciencias de la Educación del Estado de México, 2002. p. 208-234.

ROLDÁN, Concha. Entre Casandra y Clio. Uma historia de la filosofia de la historia. Akal, Madrid, 2005.

RÜSEN, Jörn. Teoria da história. Uma teoria da história como ciência. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2015.

SERNA, Justo; PONS, Anaclet. La historia cultural. Autores, obras, lugares. Madrid: Akal, 2013.

SOUZA, José Edimar de. Trajetória de professores de classes multisseriadas: memórias do ensino rural em Novo Hamburgo/RS (1940 a 2009). 2011. 346f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, São Leopoldo, 2011.

SOUZA, José Edimar de. As escolas isoladas: práticas e culturas escolares no meio rural de Lomba Grande/RS (1940 a 1952). 2015. 295f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, São Leopoldo, 2015.

SOUZA, José Edimar de. Imigração e educação: possibilidades de ensino e aprendizagem na educação básica. In: MÜHLEN, Caroline von; SANTOS, Rodrigo Luis dos; BLUME, Welington Augusto (Orgs.). Releituras e Caminhos: possibilidades interpretativas no campo migratório. Porto Alegre: Fi, 2018. p. 17-40.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2008.

VIDAL, Diana Gonçalves. Cultura e prática escolares: uma reflexão sobre documentos e arquivos escolares. In: SOUZA, Rosa Fátima de; VALDEMARIN, Vera Teresa (Orgs.) A Cultura Escolar em Debate. Campinas: Autores Associados, 2005. p. 3-30.

VIDAL, Diana Gonçalves. Instituições escolares no Brasil: conceito e reconstrução histórica: Por uma ampliação da noção de documento escolar. In: NASCIMENTO, Maria Isabel Moura et alii. (Org.). Instituições escolares no Brasil: conceito e reconstrução histórica. Campinas, SP: Autores Associados: HISTEDBR; Sorocaba, SP: UNISO; Ponta Grossa, PR: Universidade Estadual de Ponta Grossa, 2007.

VIEIRA, Alboni Marisa Dudeque Pianovski. Fontes digitalizadas na pesquisa em História da Educação. In: Congresso Nacional de Educação – EDUCERE e Seminário Internacional de Representações Sociais, Subjetividade e Educação – SIRSSE. 10 - 1, Curitiba, 2011.

Anais do X Congresso Nacional de Educação – EDUCERE. I Seminário Internacional de Representações Sociais, Subjetividade e Educação – SIRSSE. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2011. p. 1631-1645.

Downloads

Publicado

2021-08-07

Como Citar

Souza, J. E. de ., & Giacomoni, C. . (2021). Análise documental como ferramenta metodológica em história da educação: um olhar para pesquisas locais. Cadernos CERU, 32(1), 139-156. https://doi.org/10.11606/issn.2595-2536.v32i1p139-156