Trabalhadores rurais nas empresas sucroalcooleiras do estado de São Paulo: evolução recente

Autores

  • José Giacomo Baccarin Universidade Estadual Paulista
  • José Jorge Gebara Universidade Estadual Paulista
  • Janaína Gagliardi Bara Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1413-45192011000100006

Palavras-chave:

Cana-de-açúcar, Trabalhador rural, Ocupação sucroalcooleira, São Paulo, Brasil

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar as consequências do recente processo de expansão sucroalcooleira, acompanhada da intensificação da mecanização agrícola, sobre o número e a sazonalidade de emprego de trabalhadores rurais empregados nos canaviais paulistas, comparativamente ao total de pessoas ocupadas setorialmente. Desde os meados da década de 1990 vêm se verificando mudanças no plantio e na colheita da cana-de-açúcar. Neste caso, a colheita manual de cana queimada vem sendo substituída pela colheita mecânica de cana crua, fato que ganhou maior intensidade a partir de 2006, quando os empresários sucroalcooleiros decidiram reforçar a imagem do etanol como combustível renovável e pouco poluidor. Usaram-se dados do Programa de Disseminação de Estatísticas do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego do Governo Federal do Brasil, mais especificamente a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED). Os resultados do trabalho apontam que entre 2006 e 2009 houve aumento no número de pessoas empregadas nas atividades industriais e administrativas e de apoio das empresas sucroalcooleiras, o que não se repetiu para as atividades agrícolas. Nesse caso, enquanto aumentou o número de trabalhadores da mecanização agrícola diminuiu, em valor absoluto muito mais significativo, o número de trabalhadores canavieiros não qualificados. As mudanças tecnológicas na colheita e no plantio da cana-de-açúcar têm se dado com tal intensidade que, mesmo expandindo-se a área e a produção canavieira, o número de trabalhadores rurais não qualificados vem caindo. Ao mesmo tempo, a sazonalidade de emprego durante o ano desses trabalhadores continuou muito alta. Entre outras políticas públicas, sugerem-se programas de requalificação profissional dos trabalhadores que estão sendo demitidos pelo setor sucroalcooleiro em São Paulo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Giacomo Baccarin, Universidade Estadual Paulista

Professor Doutor do Departamento de Economia Rural da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias,
UNESP, campus de Jaboticabal

José Jorge Gebara, Universidade Estadual Paulista

Professor Adjunto do Departamento de Economia Rural da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias,
UNESP, campus de Jaboticabal

Janaína Gagliardi Bara, Universidade Estadual Paulista

Acadêmica do curso de Administração da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, UNESP, campus de
Jaboticaba

Downloads

Publicado

2011-06-01

Como Citar

Baccarin, J. G., Gebara, J. J., & Bara, J. G. (2011). Trabalhadores rurais nas empresas sucroalcooleiras do estado de São Paulo: evolução recente. Cadernos CERU, 22(1), 73-94. https://doi.org/10.1590/S1413-45192011000100006

Edição

Seção

Artigos