Os Graffitti de Léon-Gontran Damas

  • Marcos Bagno Universidade de Brasília
Palavras-chave: Tradução, Léon-Gontran Damas

Resumo

Léon-Gontran Damas nasceu em 28 de março de 1912, em Caiena, na Guiana Francesa. Seu pai é mestiço africano-europeu; sua mãe, africano-ameríndia. Com um ano de vida, perde a mãe. A criança, asmática e de saúde frágil, vai ser criada pela tia Grabielle Damas, apelidada “Man Gabi”, que o formará numa educação burguesa à francesa. Aos doze anos, é enviado à Martinica, uma das Antilhas francesas, para estudar no Liceu Victor Schoelcher, onde terá como colega Aimé Césaire e como professor, Gilbert Gratiant. Alguns anos depois, vai concluir seus estudos fundamentais na França. Em Paris, trava relações com Léopold S. Senghor e reencontra Aimé Césaire. Assim, surge o tripé do movimento literário e intelectual que passará a ser conhecido como Negritude.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Bagno, Universidade de Brasília
Professor do Instituto de Letras da Universidade de Brasília, poeta, contista e linguista com mais de trinta obras publicadas, entre literatura e livros de linguística. É autor, entre outros títulos, de Gramática pedagógica do português brasileiro (2012), Preconceito linguístico (1999) e A língua de Eulália (1997). Já traduziu mais de 150 livros do inglês, do francês, do espanhol e do italiano
Publicado
2016-05-10
Como Citar
Bagno, M. (2016). Os Graffitti de Léon-Gontran Damas. Cadernos De Literatura Em Tradução, (16). Recuperado de https://www.revistas.usp.br/clt/article/view/115292
Seção
Traduções não comentadas