O Nobel de Literatura do húngaro Imre Kertész – contextualização histórica

Autores

  • Sarolta Kóbori Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2359-5388.v0i17p118-124

Resumo

Aqui no Brasil, infelizmente a Hungria é muito pouco conhecida, então o
que eu conto sobre o meu país freqüentemente é novidade para todos. Por isso fiquei contente quando o José Cotta me pediu para apresentar a Hungria e passar algumas informações sobre a minha pátria. Lembro do dia em que fiquei orgulhosa e feliz, pois, estando na casa de meus pais, abri o jornal e lá estava escrito que um escritor húngaro havia ganho o prêmio Nobel de Literatura. Mas ao mesmo tempo fiquei triste, pois não conhecia o Imre Kertész. Até então nunca tinha ouvido falar o seu nome. E não só eu me senti frustrada, mas também os grandes intelectuais, os políticos e os professores, que tentaram justificar como era possível que na própria Hungria Kertész fosse pouco conhecido. Tanto assim que a indicação dele para o Nobel não havia partido da Hungria, mas da Alemanha.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sarolta Kóbori, Universidade de São Paulo

Sarolta Kóbori é professora de Língua e Literatura Húngara para Estrangeiros e pesquisadora de cinema. Nascida na Hungria, Sarolta é mestre pela Universidade Eötvös Loránd, de Budapeste, com a tese A Situação da Língua e Cultura Húngara em São Paulo; e mestre em História e Teoria do Cinema (2009). Doutoranda em História do Cinema, ela pesquisa a Influência do Cinema de Arte Europeu no Cinema Brasileiro. Contratada pela Universidade de Pécs, Hungria, ela coordena o Curso de Extensão de Língua e Cultura Húngara na FFLCH/USP.

Downloads

Publicado

2017-05-05

Como Citar

Kóbori, S. (2017). O Nobel de Literatura do húngaro Imre Kertész – contextualização histórica. Cadernos De Literatura Em Tradução, (17), 118-124. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5388.v0i17p118-124

Edição

Seção

“Psicanálise e Literatura – Imre Kertész e o desterro humano”