Comentários à tradução do conto “Passing”, de Langston Hughes: a Letra e a oralidade no gênero espistolar

Autores

  • Isadora Fortunato Universidade Federal Fluminense (UFF)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2359-5388.i23p256-278

Palavras-chave:

Tradução comentada, Gênero epistolar, Redes significantes, Oralidade

Resumo

Neste artigo apresentamos comentários e reflexões referentes à tradução do conto “Passing”, presente na obra The Ways of White Folks (1934), de Langston Hughes (1902-1967). Serão analisadas características e definições do gênero epistolar (ALVES, 2015; KOHLRAUSCH, 2015; ROCHA, 2011; TIN, 2005) em relação à maneira como Hughes se apropria ou subverte esta estrutura tradicional em sua narrativa literária; consideramos também conceitos como Letra, a poeticidade do texto literário e as redes significantes (BERMAN, 2013; CHKLOVSKY, 1978 [1917]; PAGANINE, 2013); e, por fim, serão tecidos comentários com análises acerca da representação da oralidade no texto literário na relação linguagem falada e linguagem escrita (BAGNO, 2007; LUCCHESI, 2009).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isadora Fortunato, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Isadora Moreira Fortunato é mestre em Estudos de Linguagem pela Universidade Federal Fluminense (UFF), e seu objeto de pesquisa se centra no estudo e tradução de variação linguística no par inglês-português. É graduada em Letras Português-Inglês e Letras Português-Literaturas pela mesma Universidade. Atualmente atua como tradutora freelancer.

Referências

AFRICAN AMERICAN ENGLISH. Disponível em: https://www.uni-due.de/SVE/VARS_AfricanAmericanEnglish.htm. Acesso em: 20 maio 2020.

ALVES, Márcio Miranda. “Querida filha, queridos pais: o uso da carta na ficção de Érico Veríssimo”. In: Letrônica. Porto Alegre: Vol. 8, No. 1, 2015. pp. 182-194.

AMORIM, Lauro Maia. “O papel da tradução na construção da identidade da literatura afro-americana no Brasil”. In: Revista do GEL. São Paulo, Vol. 9, No. 1, 2012. pp. 107-134.

BAGNO, Marcos. Nada na língua é por acaso: por uma pedagogia da variação linguística. 1ª Ed. 6ª reimpressão. São Paulo: Parábola Editorial, 2007.

BERMAN, Antoine. A tradução e a letra ou o albergue do longínquo. Trad. Andréia Guerini, Marie-Hélène C. Torres e Mauri Furlan. 2. ed. Florianópolis: PGET/UFSC, 2013.

BRITTO, Paulo Henriques. A Tradução Literária. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

CARBONELL I CORTÉS, Ovidi. Traducir al otro: Traducción, exotismo, poscolonialismo. Cuenca: Ediciones de la Universidade de Castilla – La Mancha, 1997, p. 19-57.

CHKLOVSKI, Viktor. A arte como procedimento. In: EIKHENBAUM et al. Teoria da literatura – formalistas russos. Porto Alegre: Editora Globo, 1978. p. 39-56.

COLORED. Webster’s Third New International Dictionary, Unabridged. Disponível em: https://www.merriam-webster.com/dictionary/colored. Acesso em 30out2020.

DIAS, Laice Raquel. Gêneros textuais para a produção de textos escritos no livro didático. Anais do SIELP. Uberlândia: EDUFU, Vol. 2, No. 1, 2012. Disponível em: http://www.ileel.ufu.br/anaisdosielp/wp-content/uploads/2014/07/volume_2_artigo_166.pdf.

EVEN-ZOHAR, Itamar. Polysystem Theory. In: ____. Papers in Culture Research. Tel Aviv: Porter Chair of Semantics, 2005.

FIGUEIREDO, Cristina. O objeto direto anafórico: a categoria vazia e o pronome lexical. IN: LUCCHESI, Dante; BAXTER, Alan; RIBEIRO, Ilza (org). O Português afrobrasileiro. Salvador: EDFUBA, 2009, p. 409.

GET A KICK OUT OF. The Free Dictionary.com. Farlex, Inc. Página eletrônica: https://idioms.thefreedictionary.com/get+a+kick+out+of. Acesso em 29mai2020.

GRANT, Nathan. Hughes/Lawrence/Douglass: Power and Resistance in The Ways of White Folks. Afro-Americans in New York Life and History. Nova Iorque, v. 19, n. 2, p. 43-48, 1995.

HATIM, Basil. The translation of style: linguistic markedness and textual evaluativeness. In: Journal of Applied Linguistics. S.l., Vol. 1, No. 3, 2004. pp. 229-246.

HUGHES, Langston. Passing. In: ____. The ways of white folks. Nova York: Vintage Books – Random House Inc., 1990, s.p. (Vintage Classics Edition). Pdf.

HUGHES, Langston. I wonder as I wander: An autobiographical journey. Nova York: Hill and Wang, 1993. p. 10.

I AM not your Negro. Direção: Raoul Peck. Intérprete: Samuel L. Jackson. Estados Unidos, Suíça, França, Bélgica: Magnolia Pictures, 2017. (96 min).

JONES, Martha S. WHAT’S IN A NAME? ‘MIXED’, ‘BIRACIAL’, ‘BLACK’. CNN. Disponível em: https://edition.cnn.com/2014/02/19/living/biracial-black-identity-answers/index.html. Acesso em 23out2020.

KOHLRAUSCH, Regina. “Gênero epistolar: a carta na literatura, a literatura na carta, rede de sociabilidade, escrita de si...”. In: Letrônica. Porto Alegre: v. 8, n. 1, 2015. pp. 148-155.

KUTZINKSI. Vera M. The Worlds of Langton Hughes: Modernism and Translation in the Americas. Nova Iorque: Cornell University Press, 2012.

LUCCHESI, Dante. Introdução. In: LUCCHESI, Dante; BAXTER, Alan; RIBEIRO, Ilza (org.). O Português afrobrasileiro. Salvador: EDFUBA, 2009, p. 31-32.

MARINHO, Fernando. “Carta pessoal”; Brasil Escola. Página eletrônica: https://brasilescola.uol.com.br/redacao/carta-pessoal.htm. Consulta realizada em 30mai2020.

MIRE. American Heritage® Dictionary of the English Language, Fifth Edition. 2016. Houghton Mifflin Harcourt Publishing Company. Página eletrônica: https://www.thefreedictionary.com/mire. Consulta realizada em 28mai2020.

MIGHTY. CAMBRIDGE Dictionary. Cambridge University Press, 2020. Página eletrônica: https://dictionary.cambridge.org/pt/dicionario/ingles/mighty. Consulta realizada em 28mai2020.

MULATTO. Webster’s Third New International Dictionary, Unabridged. Página eletrônica: https://www.merriam-webster.com/dictionary/mulatto. Consulta realizada em 28mai2020.

NEGRO. Webster’s Third New International Dictionary, Unabridged. Página eletrônica: https://www.merriam-webster.com/dictionary/Negro. Consulta realizada em 28mai2020.

OCTOROON. Dictionary.com. 2020. Página eletrônica: <https://www.dictionary.com/browse/octoroon>. Consulta realizada em 28mai2020.

OSTROM, Hans. The Ways of White Folks. Overview: The genesis and achievement of The Ways of White Folks. In: ____. Langston Hughes: a story of the short fiction. Nova Iorque: Twayne Publishers, 1993, p. 3-18.

PAGANINE, Carolina. “Tradução Comentada: o gótico e a cadeia de significantes”. In: Belas Infiéis. Brasília, Vol. 2, No. 1, 2013. pp. 251-264.

PEREIRA, Iuri. “Dez cartas jesuíticas”. In: Novos estud. – CEBRAP. São Paulo, No. 79, 2007. pp. 267-272.

RAMPERSAD, Arnold. Chronology. In: McLAREN, Joseph (org.).The Collected Works of Langston Hughes: Authobiography: I Wonder as I Wander. Columbia e Londres: University of Missouri Press, 2003, p. xi-xvi.

ROCHA, Vanessa Massoni da. “Notas e apontamentos sobre o protocolo de leitura do epistolar”. In: Revista de Letras. São Paulo, Vol. 51, No. 1, 2011. pp. 109-125.

ROSA, Alexandra Assis. “Translating orality, recreating otherness”. In: Translation Studies. S.l., Vol. 8, No. 2, 2015. pp. 209-225.

SAMPSON, Henry T. Blacks in Blackface: A sourcebook on Early Black Musical Shows. Plymouth: The Scarecrow Press, Inc, 2014.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de Lingüística Geral. 2º. ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

SILVA, Daniele Cristina Agostinho da. Epístola. Página eletrônica: https://www.infoescola.com/literatura/epistola/. Consulta realizada em 30mai2020.

SINGAL, Daniel Joseph. “Towards a Definition of American Modernism”. In: American Quarterly. Vol. 39, No. 1, 1987. pp. 7-26.

THE BIOGRAPHY.COM WEBSITE. Langston Hughes Biography. Página eletrônica: <http://www.biography.com/people/langston-hughes-9346313#related-video-gallery>. Consulta realizada em 25 fev 2020.

TIN, Emerson (org.). A arte de escrever cartas: Anônimo de Bolonha, Erasmo de Rotterdam, Justo Lípsio. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2005.

TODA MATÉRIA. Página eletrônica:< https://www.todamateria.com.br/was-e-were/>. Consulta realizada em 26mai2020.

TODO mundo odeia o Chris, primeira temporada. Criação: Chris Rock, Ali Le Roi. Estados Unidos: CR Enterprises Inc.; 3 Arts Entertainment; Paramount Television; CBS Paramount Television, 2005. 22 min, son., col.

WHEN DID THE WORD NEGRO BECOME SOCIALLY UNACCEPTABLE?. 2010. Jim Crow Museum of Racist Memorabilia. Disponível em: https://www.ferris.edu/HTMLS/news/jimcrow/question/2010/october.htm. Acesso em 23out2020.

Downloads

Publicado

2021-07-12

Como Citar

Fortunato, I. . (2021). Comentários à tradução do conto “Passing”, de Langston Hughes: a Letra e a oralidade no gênero espistolar. Cadernos De Literatura Em Tradução, (23), 256-278. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5388.i23p256-278

Edição

Seção

Prosa