Poesia-ideograma: a lua móbile de Li Bai reimaginada por Haroldo de Campos

Autores

  • Diana Junkes Bueno Martha Professora de Literatura Brasileira da Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho - UNESP/São José do Rio Preto

Palavras-chave:

Li Bai, Haroldo de Campos, poesia chinesa, tradução, poesia sincrônica

Resumo

O objetivo do presente artigo é tecer algumas considerações sobre as traduções da poesia chinesa por Haroldo de Campos. Ao final do artigo, propõe-se uma leitura para uma tradução de um poema de Li Po (701-762 d.C.). Incansável leitor da tradição e exímio tradutor, o poeta paulista erigiu uma obra constelar em torno de várias culturas a partir do estabelecimento de diálogos entre textos e contextos, sobretudo por meio de um trabalho tradutório ao qual ele deu o nome geral de transcriação, tendo nomeado, particularmente, de reimaginações, as traduções da poesia oriental. É por meio desse trabalho transcriativo que ele contemporanizou poetas de tempos e espaços diversos. Se de um lado a situação contemporânea, pós-utópica, aponta para uma crítica do futuro, dos paraísos prometidos, a poética da transcriação, em Haroldo de Campos, sustenta-se, ainda, como um alicerce para o ressurgimento de uma utopia da escritura que reúna povos e lugares em tempos de globalização. Sob essa perspectiva, apontar caminhos para a leitura das reimaginações da poética chinesa empreendidas por Campos parece um meio de dar destaque aos intercâmbios entre as culturas de língua portuguesa e a China, esta última compreendida, nos dias atuais, como um potencial econômico e como um desafio político às relações internacionais, mas ainda à espera de uma leitura poética de sua realidade e língua que o Ocidente possa empreender. O trabalho de Haroldo é, pois, uma homenagem à China e uma provocação ao leitor de língua portuguesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diana Junkes Bueno Martha, Professora de Literatura Brasileira da Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho - UNESP/São José do Rio Preto

Possui Doutorado em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP/Araraquara). Visiting Scholar da University of Illinois (2010). Pós-doutorado em Análise do Discurso e Psicanálise pela Universidade de São Paulo (FFCLRP-USP) (2011). Visiting Fellow da Universidade de Yale (EUA-2012). Professora de Literatura Brasileira da Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho - UNESP/São José do Rio Preto, onde também atua como pesquisadora e líder do Grupo de Estudos de Poesia e Cultura (GEPOC/ CNPq). Atua nos seguintes temas: poesia brasileira contemporânea; Haroldo de Campos; cultura e literatura brasileiras; influência, tradição, subjetividade. Coordenadora do GT Texto Poético da ANPOLL e editora da Revista Texto Poético. Contato: dijunkes@gmail.com

Downloads

Publicado

2015-04-24

Como Citar

Martha, D. J. B. (2015). Poesia-ideograma: a lua móbile de Li Bai reimaginada por Haroldo de Campos. Cadernos De Literatura Em Tradução, (14), 153-172. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/clt/article/view/97012