Dois poemas de Bai Juyi reimaginados em português

Autores

  • Maurício Arruda Mendonça Poeta, dramaturgo e tradutor

Resumo

O presente artigo apresenta traduções de dois poemas do poeta chinês Bai Juyi para o português, realizadas por Maurício Arruda Mendonça aplicando-se a metodologia proposta por Haroldo de Campos, poeta, ensaísta, o mais importante tradutor de poesia sino-brasileira. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maurício Arruda Mendonça, Poeta, dramaturgo e tradutor

Nasceu em Londrina em 1964. É poeta, dramaturgo e tradutor. É mestre em Letras pela Universidade Estadual de Londrina, onde atualmente cursa o doutorado trabalhando sobre a relação entre literatura e filosofia. Publicou os livros de poemas Eu caminhava assim tão distraído (1997), A sombra de um sorriso (2002), e Epigrafias (2002). Traduziu os volumes Trilha Forrada de Folhas – Nenpuku Sato, um Mestre de Haikai no Brasil (1999); Iluminuras (Gravuras Coloridas) de Arthur Rimbaud (1994); Sylvia Plath, Poemas (1991), os dois últimos em parceria com Rodrigo Garcia Lopes. Contato: maujac@sercomtel.com.br

Downloads

Publicado

2015-04-24

Como Citar

Mendonça, M. A. (2015). Dois poemas de Bai Juyi reimaginados em português. Cadernos De Literatura Em Tradução, (14), 179-184. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/clt/article/view/97014