[1]
A. Rodrigues e T. Mann, “Quatro poemas de Thomas Mann”, Cad. lit. tradução, nº 9, p. 219-229, ago. 2008.