Folhetos de cordel e a poesia popular

Autores

  • Arlindo Rebechi Junior Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v25i1p169-185

Palavras-chave:

Poesia popular brasileira, Folheto, Cordel, Literatura brasileira

Resumo

Este artigo é uma apresentação e contextualização da poesia popular de folhetos, conhecida também como folhetos de cordel. Os folhetos surgem, como registro escrito e prática editorial, em fins do século XIX. Sua gênese está ligada à prática de uma poesia oral cantada em diversos espaços públicos e privados no Nordeste brasileiro, marca que carrega até os dias atuais. Na parte final do artigo, foram abordados os trabalhos de três relevantes poetas da primeira geração de autores brasileiros: Silvino Pirauá de Lima (1848-1913), Leandro Gomes de Barros (1865-1918) e João Melquíades Ferreira da Silva (1869-1933).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arlindo Rebechi Junior, Universidade Estadual Paulista

Docente do Departamento de Ciências Humanas, da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC) da Universidade Estadual Paulista (UNESP), atuando em diversos cursos na graduação e no Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Doutor em Literatura Brasileira pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

Referências

ABREU, Márcia. Antologia de folhetos de cordel: amor, história e luta. São Paulo: Moderna, 2005.

ABREU, Márcia. Histórias de cordéis e folhetos. Campinas: Mercado de Letras, 1999.

ATAÍDE, João Martins de. Os bichos que falavam. Editado por José Bernardo da Silva. [S.l.]: [s.n.], [19--?].

BARROS, Leandro Gomes de. História do boi misterioso. Editado por José Bernardo da Silva. Juazeiro do Norte: Tipografia São Francisco, [19--?].

BARROS, Leandro Gomes de. O fiscal e a lagarta. Recife?: [s.n.], 1917?.

CALASANS, José. Canudos na literatura de cordel. São Paulo: Ática, 1984.

CANDIDO, Antonio. A literatura e a formação do homem. In: CANDIDO, Antonio. Textos de intervenção. Apresentações e notas de Vinicius Dantas. São Paulo: Duas Cidades: Editora 34. p. 77-92.

FERREIRA, Jerusa Pires. Cavalaria em cordel: o passo das águas mortas. São Paulo: Edusp, 2016.

HAURÉLIO, Marco. Breve história da literatura de cordel. São Paulo: Claridade, 2016.

LIMA, Silvino Pirauá de. Desafio de Zé Duda com Silvino Pirauá, descrevendo os reinos da natureza. Belém: Guajarina, 1937.

MAXADO, Franklin. Cordel: xilogravura e ilustrações. Rio de Janeiro: Codecri, 1982.

MEYER, Marlyse. Muitas histórias, muita poesia… In: MEYER, Marlyse (org.). Autores de cordel. São Paulo: Abril Educação, 1980. p. 3-5.

ROCHA, Glauber. Deus e o Diabo na Terra do Sol. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965.

SILVA, João Melchiades Ferreira da. A victoria dos alliados: a derrota da Allemanha e a influenza hespanhola. Parahyba: Popular, 1918.

SILVA, José Melquíades Ferreira da. A Guerra de Canudos. In: CALASANS, José. “A Guerra de Canudos”. Revista Brasileira da Folclore, Rio de Janeiro, v. 6, n. 14, p. 57-63, 1966.

Downloads

Publicado

2020-12-28

Como Citar

Rebechi Junior, A. (2020). Folhetos de cordel e a poesia popular. Comunicação & Educação, 25(1), 169-185. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v25i1p169-185