O cavalo de batalha moderno: [r]existências, debates e possibilidades em torno do caso do hotel internacional Reis Magos

Autores

  • George Alexandre Ferreira Dantas Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Rio Grande do Norte
  • José Clewton do Nascimento Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Rio Grande do Norte
  • Natália Miranda Vieira-de-Araújo Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i22p37-69

Palavras-chave:

Arquitetura moderna, Patrimônio arquitetônico, Tombamento

Resumo

Este artigo é um exercício de memória e resistência, com inegável sentido de relato quase jornalístico. Pela memória, presta-se a registrar o passo a passo das discussões e querelas que se formaram em torno dos intentos de demolição do Hotel Internacional Reis Magos (HIRM) a partir dos últimos meses de 2013. Pela resistência, serve como mapeamento de erros e acertos, dos limites e possibilidades do debate sobre as questões arquitetônicas e urbanísticas e, em especial, das patrimoniais quando assomam à esfera pública. Como uma das questões de fundo, ilumina-se com nitidez as dificuldades de compreensão do acervo da arquitetura modernista como patrimônio, cuja possibilidade de restauro, preservação e reuso muitas vezes nem se coloca. E, cabe enfatizar, essa dificuldade vem à tona mesmo entre os colegas arquitetos e urbanistas, engenheiros ou do campo das artes em geral. Parece que a questão do patrimônio, a despeito dos inúmeros avanços nas experiências projetuais e do acúmulo de discussões e formulações teóricas e conceituais, não consegue escapar, ao menos na esfera pública, da ideia do tombamento. É possível construir um novo campo discursivo em prol de uma noção de tombamento que possibilite albergar intervenções contemporâneas?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

George Alexandre Ferreira Dantas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Rio Grande do Norte

Doutor em Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (EESC-USP). Professor adjunto do Departamento de Arquitetura e do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN, Natal-RN). E-mail: georgeafdantas@ct.ufrn.br

José Clewton do Nascimento, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Rio Grande do Norte

Doutor em Arquitetura e urbanismo pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (PPGAU) da Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professor adjunto do Departamento de Arquitetura e do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN, Natal-RN).E-mail: jclewton@hotmail.com

Natália Miranda Vieira-de-Araújo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Rio Grande do Norte

Doutora em Desenvolvimento Urbano na área de concentração Conservação Integrada pelo Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano da Universidade Federal de Pernambuco (MDU/UFPE). Professora adjunta do Departamento de Arquitetura da UFPE e do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN, Natal-RN). E-mail: natalia.vieira@ufpe.br

Downloads

Publicado

2016-12-26

Como Citar

Dantas, G. A. F., Nascimento, J. C. do, & Vieira-de-Araújo, N. M. (2016). O cavalo de batalha moderno: [r]existências, debates e possibilidades em torno do caso do hotel internacional Reis Magos. Revista CPC, (22), 37-69. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i22p37-69

Edição

Seção

Artigos