A noção de integridade aplicada à conservação e restauro de bens culturais móveis: alguns antecedentes e desdobramentos

Autores

  • Mara Lúcia Carrett de Vasconcelos Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia http://orcid.org/0000-0002-7876-089X
  • Marcus Granato Museu de Astronomia e Ciências Afins, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i23p93-113

Palavras-chave:

Museologia, Conservação e restauro, Bens culturais

Resumo

A noção de integridade figura como valor fundamental à preservação de bens culturais. Inicialmente voltada para as características físicas dos objetos, a ideia de integridade passou por transformações que ampliaram seu significado, conferindo-lhe acepções que fazem referência aos aspectos imateriais dos bens culturais. Termos como integridade conceitual e integridade cultural atualmente aparecem com frequência nas publicações de Conservação e Restauro, mas geralmente são apenas citados sem que haja aprofundamento sobre sua significação. Neste contexto, este trabalho busca analisar o uso do termo integridade e de suas acepções nas cartas patrimoniais relacionadas e em alguns códigos de ética dos conservadores-restauradores, a fim de compreender de que forma a noção de integridade se modificou através dos tempos. Por fim, é discutida a aplicabilidade da ideia de integridade conceitual nas intervenções de conservação e restauração de bens culturais móveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mara Lúcia Carrett de Vasconcelos, Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia

Conservadora-restauradora de bens culturais móveis, M. Sc., doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio (UNIRIO/MAST), coordenadora de Acervos no Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil.

Marcus Granato, Museu de Astronomia e Ciências Afins, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro

Engenheiro metalúrgico, D. Sc., coordenador de Museologia do Museu de Astronomia e Ciências Afins, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, professor do Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio (UNIRIO/MAST), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.  

Downloads

Publicado

2017-08-09

Como Citar

Vasconcelos, M. L. C. de, & Granato, M. (2017). A noção de integridade aplicada à conservação e restauro de bens culturais móveis: alguns antecedentes e desdobramentos. Revista CPC, (23), 93-113. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i23p93-113

Edição

Seção

Artigos