Habitação coletiva moderna no Rio de Janeiro: considerações sobre sua preservação

Autores

  • Carla Maria Teixeira Coelho Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i22p15-40

Palavras-chave:

Edifícios residenciais, Arquitetura moderna, Patrimônio cultural

Resumo

O tema da habitação coletiva foi o foco principal da produção dos arquitetos e urbanistas durante o Movimento Moderno. Os edifícios residenciais multifamiliares tornaram-se, a partir do século XX, um dos elementos mais representativos na formação da paisagem dos centros urbanos. Com o crescente debate sobre a preservação do legado do Movimento Moderno, muitos edifícios residenciais modernos vêm sendo reconhecidos, em diversos países do mundo, como patrimônio a ser preservado. No Brasil, em geral esse tipo de reconhecimento tem acontecido no âmbito estadual ou municipal. O presente trabalho tem como objetivo traçar uma breve trajetória dos edifícios de habitação coletiva no Rio de Janeiro, enfatizando as principais mudanças trazidas pelos arquitetos do Movimento Moderno. Apresenta uma análise de suas características particulares e discute ações em andamento para sua preservação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Maria Teixeira Coelho, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal Fluminense. Mestre pelo Programa de Pós-graduação em Arquitetura da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Arquiteta do Departamento de Patrimônio Histórico da Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz – Rio de Janeiro - RJ, Brasil. E-mail: carlacoelho@coc.fiocruz.br

 

Trabalho resultante de pesquisa de mestrado realizado junto ao Programa de Pós-graduação em Arquitetura da Universidade Federal do Rio de Janeiro com bolsa da CAPES / CNPq

Downloads

Publicado

2017-04-20

Como Citar

Coelho, C. M. T. (2017). Habitação coletiva moderna no Rio de Janeiro: considerações sobre sua preservação. Revista CPC, (22), 15-40. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i22p15-40