Estádio do Pacaembu: do palco de emoções ao gigante sem dono

Palavras-chave: Construções esportivas. Estádios. Campo de futebol. Equipamento urbano.

Resumo

Propõe-se uma reflexão sobre a inserção do futebol brasileiro nas dinâmicas globais nos anos recentes, suscitando pressões pela modernização de estádios sobretudo a partir da execução de eventos internacionais no Brasil – a Copa das Confederações (2013) e a Copa do Mundo (2014). Nesse sentido, observa-se a disseminação do imaginário relacionado ao “padrão Fifa” e ao “sonho na nova arena” como desejo de representação da grandeza dos principais clubes brasileiros. Como esse contexto, entretanto, relaciona-se aos interesses associados à preservação de estádios encarados como patrimônio cultural? Para executar essa análise, emerge o caso do Estádio do Pacaembu, em São Paulo, tombado em nível municipal e estadual, que vem sendo objeto de amplas discussões nas décadas recentes. O artigo pretende aprofundar a análise desses debates, investigando em que medida as intenções de concessão e modernização do estádio, baseadas no argumento da subutilização e dos altos custos de manutenção, incidem sobre o equipamento público, encarado como patrimônio cultural. Para tanto, o estudo se desenvolverá a partir de três aspectos: analisar o Pacaembu enquanto elemento de memória e identidade de grupos sociais; verificar em que medida o interesse de sua concessão é mobilizado de acordo com as dinâmicas dos estádios paulistas e aprofundar o entendimento sobre os debates recentes travados entre órgãos de preservação, administradores públicos, associações de bairro, entre outros agentes envolvidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianca Manzon Lupo, Universidade de São Paulo

Mestranda em História e Fundamentos da Arquitetura e do Urbanismo na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP); especialista em Museologia e Colecionismo pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo (Febasp); arquiteta e urbanista pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP).

Publicado
2017-12-29
Como Citar
Lupo, B. (2017). Estádio do Pacaembu: do palco de emoções ao gigante sem dono. Revista CPC, (24), 107-133. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i24p107-133
Seção
Artigos