Análise dos projetos e das obras no Palácio Foz, em Lisboa, entre 1887 e 1904: contributo para a sua reconstituição arquitetónica e construtiva dos elementos na sua envolvente

Palavras-chave: Património arquitetónico, Espaço urbano, Arquitetura portuguesa

Resumo

A caracterização arquitetónica e construtiva de um edifício é fundamental em qualquer processo de intervenção. A proficiência desses processos depende, em grande medida, do conhecimento profundo do edifício e da correta interpretação das alterações que nele se tenham operado. A reconstituição construtiva, sobretudo de edifícios mais antigos e que foram submetidos a maior número de intervenções no decurso do tempo, nem sempre é possível, dada a inexistência ou a insuficiência de registos escritos do seu projeto inicial, ou das suas sucessivas alterações. Existem, porém, exceções que se referem principalmente a edifícios com maior notabilidade, onde é possível revisitar o processo projetual, através de registos coevos, e, no caso de obras mais recentes, identificar e analisar os estratos referentes às várias intervenções, através da análise documental geralmente depositada em arquivos institucionais. Neste artigo procede-se à possível reconstituição arquitetónica e construtiva dos elementos do envelope (cobertura e paredes exteriores) de um dos edifícios mais distintos da cidade de Lisboa, o Palácio Foz, erigido na sequência do terramoto de 1755. O trabalho de pesquisa realizado focou-se na análise dos requerimentos submetidos pelo Marquês da Foz à Câmara Municipal de Lisboa no período compreendido entre 1887 e 1904. Os referidos requerimentos correspondem a pedidos escritos de alterações, ampliações e renovações construtivas solicitados pelo proprietário. Este estudo pretende identificar e datar as principais alterações arquitetónicas e construtivas realizadas no envelope do edifício, relativamente à construção inicial, enquadrando-as com as alterações urbanísticas da zona envolvente. Pretende-se, assim, contribuir para a caracterização da história arquitetónica e construtiva do edifício, explicitando a relação entre as práticas construtivas e o contexto urbano durante aquele período.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anabela Mendes Moreira, Instituto Politécnico de Tomar

Doutora em Engenharia Civil pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Mestre em Ciências da Construção. Licenciada em Engenharia Civil. É docente no Instituto Politécnico de Tomar.

Inês Domingues Serrano, Instituto Politécnico de Tomar

Doutora em História da Arquitectura pela Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa. Mestre em História e Teoria da Arquitectura. Licenciada em Arquitectura. É docente no Instituto Politécnico de Tomar desde 1998.

Publicado
2019-07-29
Como Citar
Moreira, A. M., & Serrano, I. D. (2019). Análise dos projetos e das obras no Palácio Foz, em Lisboa, entre 1887 e 1904: contributo para a sua reconstituição arquitetónica e construtiva dos elementos na sua envolvente. Revista CPC, 14(27), 58-85. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v14i27p58-85
Edição
Seção
Artigos