Monumento Nacional Ruínas Engenho São Jorge dos Erasmos: educação patrimonial e ambiental como chave da preservação

  • Vera Lucia Amaral Ferlini Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil
  • Rodrigo Christofoletti Universidade Federal de Juiz de Fora, São Pedro,  Minas Gerais, Brasil
  • Beatriz Pacheco Jordão Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil
  • André Müller de Mello Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil
Palavras-chave: Engenhos de acúcar, Patrimônio arqueológico, Educação ambiental

Resumo

O uso qualificado de bens culturais e a sua consequente preservação constituem-se em grandes desafios para governos e comunidades neste início de século. As estratégias culturais de salvaguarda dos patrimônios
foram cada vez mais desafiadas pelo jogo plural de uma nova perspectiva histórica. Em nossos dias a reconstituição sistemática de modos de vida de uma época anterior, através de espaços e trocas sociais converte o campo da memória em teatro preferencial de uma busca objetiva de conhecimento. As ruínas do antigo Engenho São Jorge dos Erasmos, monumento nacional dos mais relevantes, atualmente categorizado como museu universitário a céu aberto, constitui complexo arquitetônico único em território brasileiro.
Além disso, transformou-se na última década em patrimônio diferenciado, abarcando múltiplos campos de conhecimento. O remanescente do antigo engenho encontra-se em lugar privilegiado, como bem tombado nas instâncias federal (1963), estadual (1974) e municipal (1990). Este texto discute as ações educativas realizadas ao longo dos últimos 15 anos neste espaço e sinaliza os projetos que ajudaram a consolidar sua vocação pedagógica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vera Lucia Amaral Ferlini, Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil

Professora Titular de História Ibérica do Departamento de História da FFLCH/USP. Presidente da Comissão Gestora da Cátedra Jaime Cortesão da FLCH/USP/Instituto Camões. Foi diretora do Monumento Nacional Ruínas Engenho São Jorge dos Erasmos de 2010 a 2018.

Rodrigo Christofoletti, Universidade Federal de Juiz de Fora, São Pedro,  Minas Gerais, Brasil

Professor de Patrimônio Cultural no Departamento de História da UFJF. Foi educador da
Universidade de São Paulo nas Ruínas Engenho São Jorge dos Erasmos de 2004 a 2016.

Beatriz Pacheco Jordão, Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil

Professora do Instituto de Biociências da USP. Desde 2018 é Diretora do Monumento Nacional Ruínas Engenho São Jorge dos Erasmos. 

André Müller de Mello, Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil

Biólogo e Educador da Universidade de São Paulo nas Ruínas Engenho São Jorge dos Erasmos. Atua como educador ambiental em programas de uso público de áreas protegidas, bens culturais e museus.  É professor do Centro Estadual de Educação Tecnológica “Paula Souza’ e integra as redes de Educação Ambiental da Baixada Santista.

Publicado
2019-08-30
Como Citar
Ferlini, V., Christofoletti, R., Jordão, B., & de Mello, A. (2019). Monumento Nacional Ruínas Engenho São Jorge dos Erasmos: educação patrimonial e ambiental como chave da preservação. Revista CPC, 14(27esp), 280-299. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v14i27espp280-299