O acervo do Instituto Federal do Piauí – Campus Teresina Central: possibilidades de arquivamento da memória institucional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v15i30espp114-136

Palavras-chave:

Memória da educação, Memória institucional, Acervo museológico, Museus unviersitários

Resumo

O estudo aqui apresentado tem como foco o processo de constituição de um espaço dedicado a arquivar e conservar a memória de uma instituição educacional centenária. O objetivo é refletir sobre a implementação do Memorial do Instituto Federal do Piauí, Campus Teresina Central, que abrange ensino técnico, graduações tecnológicas, licenciaturas, bacharelados, cursos de especialização lato sensu e programas de pós-graduação stricto sensu. Sob a perspectiva da História da Educação, busca-se problematizar esse processo em uma instituição pública e compreender as  potencialidades de um lugar de memória, na concepção de Pierre Nora (1993). Os questionamentos e as ponderações presentes nesse propósito de reunir o acervo estão conectados com conceitos da História Cultural, mobilizando ideias de Jacques Le Goff e Peter Burke, e com a utilização de fontes orais, hemerográficas, objetos da cultura material da escola e
documentos institucionais. A reflexão proposta está organizada em uma introdução, evidenciando a experiência de criação de uma unidade de memória numa instituição de ensino superior, técnico e tecnológico. Em seguida, abordam-se o percurso de constituição desse espaço e as questões acerca de seus desafios, suas realizações e intencionalidades. Segue-se com um segundo tópico, discutindo-se limites e potencialidades desse investimento de pesquisa, com suas tensões e intenções. Nas considerações finais, o artigo aponta que os primeiros passos em direção à construção do
Memorial foram realizados; entretanto, há medidas de cunho operacional e administrativo que, para se efetivarem, dependem de vontade política, dotação orçamentária e sensibilidade da gestão do campus para designar uma equipe comprometida com os objetivos pretendidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Pereira de Oliveira, Instituto Federal do Piauí, Teresina, Piauí, Brasil

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal do Piauí. Assistente em Administração no Instituto Federal do Piauí.

 

Ednardo Monteiro Gonzaga do Monti, Universidade Federal do Piauí, Teresina, Piauí, Brasil

Doutor em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professor do
Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Piauí.

Luciane Sgarbi Santos Grazziotin, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Referências

BARCELLOS, Jorge. O memorial como instituição no sistema de museus: conceitos e práticas na busca de um conteúdo. Palestra apresentada no Fórum Estadual de Museus, Porto Alegre, 2008. Disponível em: http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/camarapoa/usu_doc/concmemor.pdf. Aesso em: 11 dez. 2020.

BELLOTTO, Heloisa Liberalli. Arquivologia: objetivos e objetos. Arquivo: boletim histórico e informativo, São Paulo, v. 10, n. 2 , p. 81-3, 1989. Disponível em: https://arquivoememoria.files.wordpress.com/2009/04/arquivologiaobjetivosobjeto.pdf. Acesso em: 11 dez. 2020.

BONATO, Nailda Marinho da Costa. Memória da educação: preservação de arquivos escolares. Presença Pedagógica, Belo Horizonte, v. 6, n. 35, p. 43-47, set./out. 2000.

BONATO, Nailda Marinho da Costa. Os arquivos escolares como fontes para a história da educação. Revista Brasileira de História da Educação, Maringá, v. 5, n. 2, p. 193-220, jul./dez. 2005.

BRANCO, Flavio Castello. Escola de Aprendizes Artífices. Relatório apresentado à Superintendência do Ensino Industrial pelo Director Engenheiro Flavio Castello Branco. Teresina: Superintendência do Ensino Industrial, 1936.

BRASIL. Lei n. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11892.htm. Acesso em: 15 mar. 2020.

BROTHMAN, Brien. Ordem de valor: questionando os termos teóricos da prática arquivística. In: NEDEL, Letícia; HEYMANN, Luciana Quillet (orgs.). Pensar os arquivos: uma antologia. Rio de Janeiro: FGV, 2018. p. 83-120.

BURKE, Peter. A escrita da história. São Paulo: Unesp, 1992.

CUNHA, Maria Teresa Santos. O arquivo pessoal do professor catarinense Elpídio Barbosa (1909-1966): do traçado manual ao registro digital. Revista História da Educação, Porto Alegre, v. 21, n. 5, p. 187-206, 2017. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/5800268.pdf. Acesso em: 23 fev. 2019.

COOK, Terry. O passado é prólogo: uma história das idéias arquivísticas desde 1898 e a futura mudança de paradigma. In: NEDEL, Letícia; HEYMANN, Luciana Quillet (orgs.). Pensar os arquivos: uma antologia. Rio de Janeiro: FGV, 2018. p. 17-81.

DESVALLÉES, André; MAIRESSE, François. Conceitos-chave de museologia. Tradução e comentários BRULON, Bruno Soares e CURY, Marilia Xavier. Paris: Armand Colin, 2010.

FRANCO, Pamela; AFONSO, Alcilia. Avenida Frei Serafim: anotações sobre uma paisagem moderna (1940-1980). [S.l.]: Novas Edições Acadêmicas, 2017.

GOFF, Jacques Le. História e memória. 5. ed. Campinas: Unicamp, 2003.

GRAZZIOTIN, Luciane Sgarbi. Memórias recompondo tempos e espaços da educação: Bom Jesus/RS (1913-1963). Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

LIMA, Alexandra; MIRANDA, Laércio. Olhares: instituições educativas centenárias de Cuiabá. Cuiabá: FAPEMAT, 2015. 1 vídeo (38 min).

MARQUES. Otacílio Guedes. Informação histórica: recuperação e divulgação da memória no poder judiciário brasileiro. Dissertação. CID. Unb. Brasília. DF, 2007.133f.

MARTINS, Ana Maria Gomes de Sousa. A formação de professores primários no Piauí (1947-1961): entre as apropriações e mudanças decorrentes da Lei Orgânica do Ensino Normal. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufpi.br/xmlui/bitstream/

handle/123456789/880/tese%20C%20FICHA.pdf?sequence=1. Acesso em: 13 mar. 2020.

MIGNOT, Ana Chrystina Venancio. Tantas escolas, tantas memórias. Rio de Janeiro: FAPERJ, 2011. 1 vídeo (55 min).

MONTI, Ednardo Monteiro Gonzaga do. Como um toque de clarim: a obra pedagógica villalobiana da paisagem sonora à cultura material. Documento/Monumento, Cuiabá, v. 1, p. 72-83, set. 2015.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História, São Paulo, n. 10, p. 7-28, dez. 1993.

PAES, Marilena Leite. Arquivo: teoria e prática. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

RÊGO, Vilson Ribamar; RODRIGUES, Antonio Gerardo. 100 Fatos de uma Escola Centenária. Teresina: IFPI, 2009.

REIS, José Carlos. O desafio historiográfico. Rio de Janeiro: FGV, 2017.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Unicamp, 2007.

RODRIGUES, Antonio Gerardo. Centro Federal de Educação Tecnológica do Piauí: 90 anos de ensino profissionalizante. Teresina: EDUFPI, 2002.

SILVA, Alexandra Lima da; MONTI, Ednardo Monteiro Gonzaga. Viagens pelo cinema: convite à história da educação. Teresina: EDUFPI, 2019.

SORIA, Juan Manuel Fernández. Usos de la memoria e el olvido en la historia de la educación. Sarmiento: Anuario Gallego de Historia da Educación, Pontevedra, n. 10, p. 25-51, 2006.

SUANO, Marlene. O que é museu. São Paulo: Brasiliense,1986.

ZAIA, Iomar Barbosa. O lugar do arquivo permanente dentro de um centro de memória escolar. Revista Brasileira de História da Educação, Maringá, v. 5, n. 153-174, jul./dez. 2005.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

Oliveira, M. P. de, Monti, E. M. G. do, & Grazziotin, L. S. S. (2020). O acervo do Instituto Federal do Piauí – Campus Teresina Central: possibilidades de arquivamento da memória institucional. Revista CPC, 15(30esp), 114-136. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v15i30espp114-136