Formação de novas gerações nos museus universitários: o papel do educativo do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v15i30espp294-320

Palavras-chave:

Educação em museus, Estágios, Museus arqueológicos, Museus universitários

Resumo

Neste artigo, discute-se a contribuição do Educativo do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo na formação de novas gerações para o campo museal e áreas correlatas. A instituição, ao longo de décadas, tem sensibilizado profissionais por meio do ensino, da pesquisa e da extensão. Os museus universitários, nessa perspectiva, têm atuação crucial ao ampliar o vínculo da universidade com a sociedade, especialmente com os trabalhos educacionais para o público em geral. Com o crescimento do acesso de distintas parcelas da população ao espaço universitário nos últimos anos, os museus podem ser um local privilegiado para o acolhimento dessas diferenças e para sua incorporação no mundo da ciência e da museologia. Muitos e muitas profissionais que hoje atuam em diferentes segmentos da área do patrimônio cultural começaram sua vida profissional nesses locais, em particular dentro das universidades públicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maurício André da Silva, Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil

Educador, Arqueólogo e responsável pelo Educativo do Museu de Arqueologia e
Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP). Doutorando do Programa de
Pós-Graduação em Arqueologia e mestre em Arqueologia, ambos pelo MAE-USP.
Bacharel e licenciado em História pela USP.

Referências

BIELLA, Andrea Amaral; CARNEIRO, Carla Gibertoni; SILVA, Maurício André da. GT2 - Formação de educadores de museus. In: MARANDINO, Martha. Seminário educação e museus: síntese dos grupos de trabalho. São Paulo: FEUSP , 2018. p. 11-14.

BRUNO, Maria Cristina Oliveira. Museu do Instituto de Pré-História: um museu a serviço da pesquisa científica. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1984.

BRUNO, Maria Cristina Oliveira; VASCONCELLOS, Camilo de Mello. A proposta educativa do Museu de Pré-História Paulo Duarte. Revista de Pré-História, n. 7, p. 161-189, 1989.

BRUNO, Maria Cristina Oliveira. Museologia e comunicação. Lisboa: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, 1996.

BRUNO, Maria Cristina Oliveira. Museus e pedagogia museológica: os caminhos para a administração dos indicadores da memória. In: BRUNO, Maria Cristina Oliveira. As várias faces do patrimônio. [S. l: s. n.], 2006.

BRUNO, Maria Cristina Oliveira. Educação museal: dos caminhos de buscas metodológicas à função social dos museus. YouTube MAE-USP, 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=qPu1tm2ACV0&t=2306s . Acesso em: 11 nov. 2020.

CARNEIRO, Carla Gibertoni. Ações educacionais no contexto da arqueologia preventiva: uma proposta para a Amazônia. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. DOI: 10.11606/T.71.2009.tde-28082009-100307 .

CASTRO, Mariangela. Para mais da metade dos estudantes, USP é machista e racista. Jornal da USP, São Paulo, 27 jun. 2018. Disponível em:https://jornal.usp.br/universidade/para-mais-dametade-dos-estudantes-usp-e-machista-e-racista/. Acesso em: 10 jun. 2020.

CAZELLI, Sibele; VALENTE, Maria Esther. Incursões sobre os termos e conceitos da educação museal. Revista Docência e Cibercultura, v. 3, n. 2, p. 18-40, set. 2019. DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2019.40729 .

COMITÊ PARA EDUCAÇÃO E AÇÃO CULTURAL DO CONSELHO INTERNACIONAL DE MUSEUS DO BRASIL; REDE DE EDUCADORES EM MUSEUS DO BRASIL. Carta Aberta dos educadores museais brasileiros sobre os efeitos da Pandemia de Covid-19 na educação museal no Brasil. 2020. Disponível em: http://www.Icom.org.br/files/Carta_Aberta_e_Recomenda%C3%A7%C3%B5es_para_Educa%C3%A7%C3%A3o_Museal_no_Brasil.pdf. Acesso em: 30 jun. 2020.

COSTA, Andréa Fernandes. A formação inicial e continuada de educadores museais: projeto em construção. Revista Docência e Cibercultura, [S.l.], v. 3, n. 2, p. 67-89, set. 2019. DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2019.44693 .

CURY, Marilia Xavier. Lições indígenas para a descolonização dos museus: processos comunicacionais em discussão. Cadernos CIMEAC, v. 7, n. 1, p. 184-211, jul. 2017. DOI: https://doi.org/10.18554/cimeac.v7i1.2199 .

CURY, Marília Xavier. Metamuseologia: reflexividade sobre a tríade musealia, musealidade e musealização, museus etnográficos e participação indígena. Museologia & Interdisciplinaridade, v. 9, n. 17, p. 129-146, 17 maio 2020. DOI: https://doi.org/10.26512/museologia.v9i17.29480.

ELAZARI, Judith Mader. Ação educativa em museus: a terceira idade construindo conhecimentos a partir de objetos no MAE/USP. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, n. 19, p. 337-354, 2009a. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2009.89893 .

ELAZARI, Judith Mader. Encontro com idosos: escavando a memória a partir de objetos. In: PARK, Margareth Brandini; GROPPO, Luis Antônio (Org.). Educação e velhice. Holambra: [s.n.], 2009b. p. 93-105.

FLEMING, Maria Isabel D’Agostino; FLORENZANO, Maria Beatriz Borba. Trajetória e perspectivas do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP (1964-2011). Estudos Avançados, v. 25, n. 73, p. 217-228, 1 jan. 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-40142011000300024 .

FRANCOIO, Maria Angela et al. Formação de bolsistas: Divisão Técnico-Científica de Educação e Arte do MAC-USP. Revista de Cultura e Extensão USP, v. 3, p. 7-13, 1 maio 2010.DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9060.v3i0p7-13.

GOMES, Isabel; CAZELLI, Sibele. FORMAÇÃO DE MEDIADORES EM MUSEUS DE CIÊNCIA: SABERES E PRÁTICAS. Ens. Pesqui. Educ. Ciênc, Belo Horizonte, v. 18, n. 1, p. 23-46, abr. 2016.

GUIMARÃES, Viviane Wermelinger et al. Kaingang, Guarani Nhandewa e Terena: resistência já!: fortalecimento e união das culturas indígenas. São Paulo: MAE-USP, 2018. 52p. DOI: https://doi.org/10.11606/9788560984602 .

HIRATA, Elaine Farias Veloso. Relato das experiências educacionais do MAE: 1981-1982. Dédalo, São Paulo, n. 24, p. 11-20, 1985.

HOOKS, Bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

HORTA, Maria de Lourdes Parreiras; GRUNBERG, Evelina; MONTEIRO, Adriane Queiroz. Guia básico de educação patrimonial. Brasília: Iphan: Museu Imperial, 1999.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS. Caderno da Política Nacional de Educação Museal. Brasília, DF: IBRAM, 2018. 132p. Disponível em: https://www.museus.gov.br/wp-content/uploads/2018/06/Caderno-da-PNEM.pdf . Acesso em: 5 jun. 2020.

MARANDINO, Marta (Org.). Educação em museus: a mediação em foco. São Paulo: Geenf; FEUSP, 2008. 48 p.

MARTINS, Luciana Conrado. A constituição da educação em museus: o funcionamento do dispositivo pedagógico por meio de um estudo comparativo entre museus de artes plásticas, ciências humanas e tecnologia. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2011. DOI:10.11606/T.48.2011.tde-04072011-151245 .

MENDONÇA, Lúcia Glicério. Museus universitários e modernidade líquida: compromissos, desafios e tendências (um estudo sob a perspectiva da Teoria Ator-Rede, Brasil e Portugal). Tese (Doutorado em Museologia) – Universidade do Porto, Faculdade de Letras, Porto, 2017.

MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de. A cultura material no estudo das sociedades antigas. Revista de História, São Paulo, n. 115, p. 103-117, dez. 1983. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.v0i115p103-117 .

MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de. Plano Diretor (1990-1995). São Paulo: Museu Paulista, 1990.

MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de. Educação e museus: sedução, riscos e ilusões. Ciências & Letras, Porto Alegre, n. 27, p. 91-101, 2000.

ROCA, Andrea. Acerca dos processos de indigenização dos museus: uma análise comparativa. Mana, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p. 123-156, 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-93132015v21n1p123 .

SARRAF, Viviane Panelli. A comunicação dos cinco sentidos nos espaços culturais. Tese (Doutorado em Ciências) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.

SARRAF, Viviane Panelli. Acessibilidade cultural para pessoas com deficiência - benefícios para todos. Revista do Centro de Pesquisa e Formação, n. 6, v. 1, p. 23-43, 2018.

SILVA, Maurício André da. Diálogos orientados/desorientados pela teoria queer. Revista Arqueologia Pública, v. 13, n. 1[22], p. 218- 237, 2 jul. 2019. DOI: https://doi.org/10.20396/rap.v13i1.8654760 .

SILVA, Wandré. Contrapúblicos: o paradoxo e o paradigma. Relato sobre a mesa Públicos e Contrapúblicos. Brasília, DF: Memorial Darcy Ribeiro. Fórum Permanente de Museus, 23 de nov. 2016. Disponível em: http://www.forumpermanente.org/event_pres/encontros/encontrosde-mediacao-na-arte-contemporanea-a-atuacao-dos-publicos/relatos-criticos/relato-criticopublicos-e-contrapublicos. Acesso em: 3 jun. 2020.

TOJAL, Amanda Pinto da Fonseca. Política de acessibilidade comunicacional em museus: para quê e para quem? Revista Museologia & Interdisciplinaridade, v. 4, p. 190-202, 2015. DOI: https://doi.org/10.26512/museologia.v4i7.16779 .

VASCONCELLOS, Camilo de Mello. O papel social e educacional dos museus: um estudo de caso do projeto girassol do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP. In: NASCIMENTO,Silvania do; BOSSLER, Ana Paula (Org.). Museu e escola: isso me lembra uma história. Belo Horizonte: UFMG, 2010. p. 1-13.

VASCONCELLOS, Camilo de Mello. Las singularidades de los museos universitarios. Revista Códice Boletin Científico y Cultural del Museo Universitario de la Universidad de Antioquia, v. 28, p. 26-39, 2015a.

VASCONCELLOS, Camilo de Mello. O imaginário sobre o indígena: uma experiência de aprendizagem significativa no Museu de Arqueologia e Etnologia da USP. Museologia & Interdisciplinaridade, v. 4, n. 7, p. 224-244, 3 nov. 2015b. DOI: https://doi.org/10.26512/museologia.v4i7.16781 .

VASCONCELLOS, Camilo de Mello. Arqueologia e educação patrimonial: a experiência do MAE-USP. Revista CPC, v. 14, n. 27, esp., p. 255-279, 30 ago. 2019. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v14i27espp255-279 .

VASCONCELLOS, Camilo de Mello et al. O Museu de Arqueologia e Etnologia da USP e o público especial. São Paulo: MAE-USP; Fundação Dorina Nowill para Cegos, 2009.

VASCONCELLOS, Camilo de Mello; SILVA, Maurício André. A comunidade, a Universidade e a cidade de São Paulo por meio do olhar das crianças da São Remo: o trabalho socioeducativo do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo. In: PERALTA, Romina; LOZA, Alicia (Org.). Museos y archivos universitarios: educación, accesibilidad e inclusión, un debate necesario. La Plata: Universidad de la Plata, 2017. p. 196-206.

VASCONCELLOS, Camilo de Mello; SILVA, Maurício André da. A mediação comunitária colaborativa: novas perspectivas para educação em museus. ETD - Educação Temática Digital, v. 20, n. 3, p. 623-639, 16 jul. 2018. DOI: https://doi.org/10.20396/etd.v20i3.8651713 .

WICHERS, Camila A. de Moraes. Museologia, feminismo e suas ondas de renovação. Museologia & Interdisciplinaridade, v. 7, n. 13, p. 138-154, 28 maio 2018. DOI: https://doi.org/10.26512/museologia.v7i13.17781 .

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

Silva, M. A. da. (2020). Formação de novas gerações nos museus universitários: o papel do educativo do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP. Revista CPC, 15(30esp), 294-320. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v15i30espp294-320