Propostas de professores para visitas escolares a um museu de zoologia no contexto da alfabetização científica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v15i30espp426-454

Palavras-chave:

Ensino de ciências, Museus de ciência e tecnologia, Alfabetização científica, Museus universitários

Resumo

O presente artigo tem como foco a aproximação entre os espaços educativos não formais, como um museu, e as demandas da educação escolar e suas possibilidades propostas por professores da Educação Básica no contexto do processo de alfabetização científica. A pesquisa tem como objetivo descrever como os professores se apropriam dos objetos expositivos do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo ao criarem roteiros de visitação para este espaço. A partir disso, configuramos as seguintes questões: como os professores estabelecem relações entre os conteúdos e temas para trabalhar a parceria entre a escola e o museu? Quais aparatos estabelecem as maiores relações dialógicas de conhecimento escolar e museal com base nas propostas de ações dos professores? E como essas
propostas de roteiros de visita se relacionam com os eixos estruturantes de alfabetização científica? No tocante ao desenho metodológico, o presente trabalho tem um caráter descritivo e qualitativo, com base na análise de conteúdo. Em termos conclusivos, pode-se sinalizar não só os aparatos mais atrativos da exposição, como indicar aqueles que podem ganhar destaque para, futuramente, serem utilizados nas visitas escolares. Observa-se ainda que à luz da alfabetização científica evidenciada nos roteiros elaborados, há maior preocupação com a apropriação dos termos e dos conceitos próprios da ciência e por outro lado, uma menor abordagem com as relações entre a natureza da ciência e suas práticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Pugliese, Universidade Federal do ABC, Santo André, São Paulo,Brasil

Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FE-USP). Integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Ensino de Ciências (NEPEC) e do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Não Formal e Divulgação em Ciência (GEENF-FEUSP).

João Rodrigo Santos da Silva, Universidade Federal do ABC, Santo André, São Paulo,Brasil

Doutor em Ciências pelo Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP). Integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Ensino de Ciências (NEPEC).

Nathalia Binder, Universidade Federal do ABC, Santo André, São Paulo,Brasil

Pós-graduada em Educação inclusiva, pela Universidade Braz Cubas de Mogi das Cruzes; graduada e licenciatura em Ciências Biológicas, Bacharel em Ciência e Tecnologia e graduanda em Neurociência pela Universidade Federal do ABC.

Patricia da Silva Sessa, Universidade Federal do ABC, Santo André, São Paulo, Brasil

Doutora em Educação, área de Ensino de Ciências e Matemática pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP); mestre em Educação na linha de pesquisa Formação de Professores pela Universidade Metodista de São Paulo; graduada em Ciências Biológicas e Pedagogia. Pesquisadora no Grupo de Pesquisa em Ensino de Ciências e Formação de Professores (ENCIFORM) e Núcleo de Estudos e Pesquisas em Ensino de Ciências (NEPEC). 

Referências

ABIB, M. L. V. S.; LAMAS, A. P. N.; DE CASTRO, C.; LOURENÇO, Ariane Baffa. Os espaços não formais e sua relação com a formação de professores no contexto brasileiro. In: XVI ENDIPE - ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICAS DE ENSINO - UNICAMP, 2, 2012, Anais... Campinas: Junqueira & Marin, 2012. p. 1-12.

ALMEIDA, Milena Galvani Rodrigues de; MARRANGHELLO, Guilherme Frederico; DORNELES, Pedro Fernando Teixeira. Análise de 4 sessões apresentadas no planetário da UNIPAMPA: alfabetização científica. Revista Educar Mais, v. 4, n. 3, 2020. DOI: https://doi.org/10.15536/reducarmais.4.2020.1886 .

ALVAIDE, Nathalie de Freitas. Possibilidades de alfabetização científica no complexo astronômico da Sabina Escola Parque do Conhecimento. 2019. 112f. Dissertação (Mestrado em Ensino e História das Ciências e da Matemática) – Universidade Federal do ABC, Santo André, 2019.

ALBE, V.; PEDRETTI, E. Introduction to the special issue on courting controversy: Socioscientific issues and school science and technology. Canadian Journal of Science Mathematics and Technology Education, v. 13, p. 303–312, 2013.

ALLARD, M.; LAROUCHE, M. C.; LEFEBVRE, B.; MEUNIER, A.; VADEBONCOEUR, G. La visite au musée. Réseau, p.14-19, Décembre 1995/Janvier 1996.

ARAÚJO, Ingrid de. Os museus de ciências como espaço de inclusão: ações educativas e formativas no Zoológico de São Paulo. 2020. 92f. Dissertação (Mestrado em Ensino e História das Ciências e da Matemática) – Universidade Federal do ABC, Santo André, 2020.

BALLESTE, Samantha. Preferência por animais em jardins zoológicos: o caso do Parque Zoológico da FZB/RS. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, v. 41, e45678, 2019.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BERDNIKOFF, Anatoli Nascimento; SILVA, João Rodrigo Santos da. Os saberes museais dos mediadores. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, p. 856-876, 2020. DOI: https://doi.org/10.26843/rencima.v11i6.2603 .

BERDNIKOFF, Anatoli Nascimento; FRIOLANI, Poliana; SILVA, João Rodrigo Santos da. Levantamento da produção acadêmica na SABINA - Escola Parque do conhecimento: uma análise documental. Revista de Ensino de Biologia da Associação Brasileira de Ensino de Biologia, v. 9, p. 1239-1251, 2016.

BRUNO, Maria Cristina Oliveira. Os museus servem para transgredir: um ponto de vista sobre a museologia paulista. In: SISTEMA ESTADUAL DE MUSEUS (Org.) Museus: o que são, para que servem? v.2. Brodowski: ACAM Portinari; Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, 2013. p. 29-42

BUENO, Juliana. O papel educativo dos dioramas nos museus de ciências. In: MARANDINO, Martha; SCALFI, Graziele; MILAN, Barbara (Orgs.). Janelas para a natureza: explorando o potencial educativo dos dioramas. São Paulo: FEUSP, 2020. p. 27-38.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

DIAMOND, J. Practical evaluation guide: tools for museum & other informal educational settings. Walnut creek, CA: Altamira Press, 1999.

CAZELLI, Sibele; FRANCO, Creso. Alfabetismo científico: novos desafios no contexto da globalização. Revista Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 3, n. 2, p.145-159, 2001.

CERATI, Tania Maria. Educação em jardins botânicos na perspectiva da alfabetização científica: análise de uma exposição e público. 2014. 254 f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 4 ed. São Paulo: Atlas, 1994.

HENRIKSEN, Ellen, K.; FRØYLAND, Merethe. The contribution of museums to scientific literacy: Views from audience and museum professionals. Public Understanding of Science, v. 9, n. 4, 2000. p. 393-415.

HOOPER-GREENHILL, E. Education, communications and interpretations: towards a critical pedagogy in museums. In: HOOPER-GREENHILL, E. The Educational Role of the Museum. 2nd ed. London: Routledge, 1999.

KELLERT, S. R. Perceptions of animals in America. In: HOAGE, R. J. (Ed). Perceptions of animals in merican Culture. Washington DC: Smithsonian Press 1989. p. 5-24.

LOPES, Maria Margareth. O Brasil descobre a pesquisa científica: os museus e as ciências naturais no século XIX. São Paulo: Hucitec, 1997.

LOURENÇO, M. F. Materiais educativos em museus e sua contribuição para a Alfabetização Científica. 2017. 294f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade De São Paulo, São Paulo, 2017.

MARANDINO, Martha. Museu e escola: parceiros na educação científica do cidadão. In: CANDAU, V. M. Reinventar a Escola. Petrópolis: Vozes, 2000. p. 189-220.

MARANDINO, Martha. Por uma didática museal: propondo bases sociológicas e epistemológicas para análise da educação em museus. Tese de Livre Docência em Educação: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2012.

MARANDINO, Martha; SELLES, Sandra Escovedo; FERREIRA, Marcia Serra. Ensino de Biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos. São Paulo: Cortez, 2009.

MARANDINO, Martha; NORBERTO ROCHA, Jessica; CERATI, Tania Maria; SCALFI, Graziele; OLIVEIRA, Denise; FERNANDES, Marcia Lourenço. Ferramenta teóricometodológica para o estudo dos processos de alfabetização científica em ações de

educação não formal e comunicação pública da ciência: resultados e discussões. Journal of Science Communication, América Latina, v. 1, n. 1, p. 1-24, A03, 2018. DOI: https://doi.org/10.22323/3.01010203 .

MARANDINO, Martha; PUGLIESE, Adriana; OLIVEIRA, Itamar Soares. Formação de professores, museus de ciências e relações entre ciência, tecnologia, sociedade e ambiente. In: ROCHA, M. B.; DALMO, R. Divulgação científica: textos e contextos. São Paulo: Livraria da Física, 2019. p. 37-48.

MARCONDES, Marília; PUGLIESE, Adriana. A formação continuada de professores e a utilização do Museu de Microbiologia como espaço de prática pedagógica. In: XI ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 2017, Florianópolis. Anais... Florianópolis, 2017.

MARTINS, Luciana Conrado. A relação museu/escola: teoria e prática educacionais nas visitas escolares ao Museu de Zoologia da USP. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade De São Paulo, São Paulo, 294f, 2006.

MARTINS, Luciana Conrado. Existe um currículo museal? As teorias curriculares na compreensão da educação em museus. ETD-Educação Temática Digital, v. 20, n. 3, p. 640-661, 2018.

MILLER, S. Os cientistas e a compreensão pública da ciência. In: MASSARANI, L., TURNEY, J.; MOREIRA, I. (Ed.) Terra Incógnita: a interface entre ciência e público. Rio de Janeiro: Casa da Ciência/UFRJ; Museu da Vida/Fiocruz; Vieira & Lent, 2005. p. 115–132.

MIYAJI, Sandra Okabayashi; PUGLIESE, Adriana. Alfabetização científica na educação não formal: o zoológico como espaço para o estudo da biodiversidade. In: IV ENCONTRO REGIONAL DE ENSINO DE BIOLOGIA – IV EREBIO. Regional 1. Dourados. Anais... Dourados, 2019. Disponível em: http://eventos.idvn.com.br/eventos/erebioregional2019/arquivos/anais_erebio_2019_final.pdf.

MOSQUERA, J. ‘La exposicion “cuerpo relaciones vitales” del Parque ´ Explora-Medellín: evaluacion desde la perspectiva de la alfabetización científica’. Dissertacão (Investigaciõn en la Ensenanza y el Aprendizaje de las Ciencias Experimentales, Sociales y Matematicas). Huelva, SpaIn: Universidad Internacional de Andalucía, Universidad de Huelva, 2014.

NORBERTO ROCHA, Jessica. Museus e centros de ciências itinerantes: análise das exposições na perspectiva da alfabetização científica. 2018. 449f. Tese de Doutorado em Educação. São Paulo, Brasil: Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 2018.

NORBERTO ROCHA, Jessica; SCALFI, Graziele. Alfabetização científica e as relações entre ciência, tecnologia, sociedade e ambiente nos museus de ciências. In: MARANDINO, Martha; PUGLIESE, Adriana; MONACO, Luciana M.; MILAN, Barbara; SCALFI, Graziele (Org.). Práticas educativas e formação de públicos de museus: relações entre ciência, sociedade e temas

controversos. São Paulo: FEUSP, 2020. p. 13-28.

OLIVEIRA, Adriano Dias. Aspectos históricos, definições e limites dos dioramas. In: MARANDINO, Martha; SCALFI, Graziele; MILAN, Barbara (Orgs.). Janelas para a natureza: explorando o potencial educativo dos dioramas. São Paulo: FEUSP, 2020. p. 17-26.

PEDRETTI, E. Kuhn meets T. Rex: Critical conversations and new directions in science centres and science museums. Studies in Science Education, v. 37, n. 1, p. 1-41, 2002.

PUGLIESE, Adriana. Os museus de ciências e os cursos de licenciatura em Ciências Biológicas: o papel desses espaços na formação inicial de professores. 2015. 231f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo (FEUSP), São Paulo, 2015.

PUGLIESE, Adriana; Villas Boas, Denise; SAVASSA, Lucas Fontes; ARAÚJO, Ingrid de; PATRICIO, Tamiris. Mediadores e construção de saberes na educação não formal: um olhar para a periferia do município de São Paulo, Brasil. REEC. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. Extra, p. 1637-1641, 2017a.

PUGLIESE, Adriana; Villas Boas, Denise; SAVASSA, Lucas Fontes; ARAÚJO, Ingrid de; PATRICIO, Tamiris; SIQUEIRA, Thamara Alves Cardoso. Atividade de campo como prática reflexiva na formação inicial de professores. In: XI ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS. Florianópolis. Anais... Florianópolis, 2017b.

PUGLIESE, Adriana; MARANDINO, Martha. Museu como espaço legítimo na formação docente em Ciências Naturais. In: BARBOSA, Marinalva Vieira; COSTA, Váldina Gonçalves (Org.). Formação de professores e contextos de trabalho: diferentes olhares. Campinas: Mercado de Letras, 2018. p. 119-134.

PUGLIESE, Adriana; MARANDINO, Martha; OLIVEIRA, Itamar Soares; RIBAS, Gabriela Gotlieb; ARAÚJO, Ingrid de. Propostas educativas para a formação de professores. In: MARANDINO, Martha; PUGLIESE, Adriana; MONACO, Luciana M.; MILAN, Barbara; SCALFI, Graziele (Org.). Práticas educativas e formação de públicos de museus: relações entre ciência, sociedade e temas controversos. São Paulo: FEUSP, 2020. p. 41-57.

ROBERTS, Douglas A. Scientific Literacy/Science Literacy. In: ABELL, S.K.; LEDERMAN, N. G. (eds). Handbook of Research in Science Teaching and Learning. New York, McMillan, 2007. p. 729-780.

SASSERON, Lúcia Helena; CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. Almejando a alfabetização científica no ensino fundamental: a proposição e a procura de indicadores do processo. Investigações em ensino de ciências, v. 13, n. 3, p. 333-352, 2008.

SASSERON, Lúcia Helena; CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. Alfabetização científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em ensino de ciências, v. 16, n. 1, p. 59-77, 2011.

SASSERON, Lúcia Helena. Alfabetización Científica, Enseñanza por Investigación y Argumentación: Relaciones entre las Ciencias de la Naturaleza y la Escuela. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 17, n. spe, p. 49-67, 2015.

SESSA, Patricia da Silva; TRIVELATO, Silvia L. F. Interações dialógicas no ensino de Biologia: modos semióticos e o processo de construção de significados nas atividades de campo. REEC. Revista Electrónica De Enseñanza De Las Ciencias, v. 16, p. 173-195, 2017.

SOARES, Marcus Pinto. Os bastidores de uma exposição de um museu de história natural: o processo de produção do discurso expositivo e seus agentes. 2019. 274f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, 2019.

RIBAS, Gabriela Gotlieb; SESSA, Patricia. A formação inicial de educadores no Estágio Curricular obrigatório e a construção do discurso em espaço de educação não-formal. In: VII Encontro Nacional de Ensino de Biologia - ENEBIO, 2018, Belém. Anais... Belém, 2018. Disponível em: anais_vii_enebio_norte_completo_2018, 2018. p. 2909-2918.

VALENTE, Maria Esther, CAZELLI, Sibele; ALVES, Fátima. Museus, ciência e educação: novos desafios. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 12 (suplemento), p. 183-203, 2005.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

Pugliese, A., Silva, J. R. S. da, Binder, N., & Sessa, P. da S. (2020). Propostas de professores para visitas escolares a um museu de zoologia no contexto da alfabetização científica. Revista CPC, 15(30esp), 426-454. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v15i30espp426-454