Caminhos para proteção dos babaçuais e dos seus detentores culturais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i19p33-48

Palavras-chave:

Populações tradicionais. Babaçu. INRC. Indicações geográficas

Resumo

O artigo tem como objetivo refletir sobre a aplicação do Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC) e o uso das indicações geográficas como instrumentos complementares às políticas de salvaguarda do patrimônio ambiental e cultural, no que tange à conservação da biodiversidade e à proteção da reprodução cultural, social, ancestral e econômica dos povos tradicionais da região norte do Tocantins que vivem em função do babaçu.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marielle Rodrigues Pereira, Universidade Federal do Tocantins (UFT), Palmas, Tocantins, Brasil

Mestre em Preservação do Patrimônio Cultural pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Professora do curso de Engenharia Civil na mesma instituição e de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Luterano de Palmas.

Downloads

Publicado

2015-06-16

Como Citar

Pereira, M. R. (2015). Caminhos para proteção dos babaçuais e dos seus detentores culturais. Revista CPC, (19), 33-48. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i19p33-48

Edição

Seção

Artigos