As práticas discursivas da Administração de Empresas: análises sobre a dominação do trabalho e do trabalhador

Autores

  • Flávia Manuella Uchôa de Oliveira Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v19i1p61-75

Palavras-chave:

Psicologia Social do Trabalho, Poder, Disciplina, Controle, Administração de Empresas

Resumo

Neste artigo apresentamos uma análise de práticas discursivas e de uma lógica administrativa que vigora nas empresas. Por empresa entendemos toda organização constituída para explorar determinado ramo de negócio no mercado dentro do sistema capitalista. É nosso objetivo caracterizar os usos da Administração como campo de conhecimento e de formação de profissionais para resoluções dos problemas sobre o trabalho que a modernidade fez emergir. Utilizando-nos da leitura de Michel Foucault, pois encontramos suporte em suas análises sobre a história e a funcionalidade do poder. Procedemos com a análise documental de ementas e de referências bibliográficas indicadas nas disciplinas de dois cursos de duas instituições brasileiras: a Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (Eaesp-FGV) e o curso de Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP). Diante deste exame, pudemos formular algumas reflexões como resultado: a Administração de Empresas é a ciência da demonstração, o que se faz produtivo da realidade ou o que se produz nela é o que se torna científico

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Manuella Uchôa de Oliveira, Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo

Downloads

Publicado

2016-07-01

Como Citar

Oliveira, F. M. U. de. (2016). As práticas discursivas da Administração de Empresas: análises sobre a dominação do trabalho e do trabalhador. Cadernos De Psicologia Social Do Trabalho, 19(1), 61-75. https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v19i1p61-75

Edição

Seção

Artigos Originais