Quero trabalhar! A experiência marcante dos processos seletivos na subjetividade de jovens universitários

Autores

  • Andréia De Conto Garbin Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Heloísa Aguiar da Silva Universidade Presbiteriana Mackenzie

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v19i1p77-88

Palavras-chave:

Processos seletivos de estágios, Subjetividade, Trabalho

Resumo

Este estudo teve como finalidade compreender como os processos seletivos repercutem na subjetividade do jovem que busca ingressar no mercado de trabalho. Foram entrevistados oito universitários que passaram por processos seletivos para estágio nos últimos seis meses. Os dados coletados foram analisados à luz da análise do discurso. Os entrevistados relataram sentir ansiedade nos processos seletivos e necessidade de adequar-se ao perfil pedido pela empresa, além de sentimentos de baixa autoestima e culpa diante das tentativas frustradas de inserir-se no mercado de trabalho. Concluiu-se que os processos seletivos acompanham as mudanças e exigências dos novos modelos de gestão do trabalho, exigindo novas qualidades relacionadas à capacidade de autocontrole, qualidade, mudança e mobilidade. Os resultados deste estudo ilustram que as exigências dos processos seletivos reforçam a marginalidade de alguns grupos e aumentam o contingente dos não qualificados. As experiências vivenciadas nos processos seletivos revelam mecanismos excludentes, ênfase em saberes não profissionais e valorização de comportamentos úteis às empresas, em detrimento da qualificação profissional

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-07-01

Como Citar

Garbin, A. D. C., & Silva, H. A. da. (2016). Quero trabalhar! A experiência marcante dos processos seletivos na subjetividade de jovens universitários. Cadernos De Psicologia Social Do Trabalho, 19(1), 77-88. https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v19i1p77-88

Edição

Seção

Artigos Originais