Relações de trabalho dos jogadores profissionais de poker: do cotidiano de trabalho à saúde do jogador

Autores

  • Guilherme Elias da Silva Universidade Estadual de Maringá
  • Francisco Hashimoto Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v19i2p221-241

Palavras-chave:

Poker, Jogo, Trabalho, Psicossociologia, Saúde

Resumo

O objetivo geral da pesquisa foi compreender as relações de trabalho dos jogadores profissionais de poker, à luz da Psicossociologia, a partir de um paralelo com as políticas de gestão desenvolvidas nas organizações estratégicas. A coleta de dados foi composta por entrevistas individuais e análise de obras autobiográficas de jogadores profissionais de poker. A discussão apresentada proporcionou um alerta frente à profissão que se encontra em amplo desenvolvimento e merece total cobertura, tanto em seus aspectos jurídicos, administrativos e contábeis quanto no sentido dos saberes relativos à saúde do trabalhador (como a Psicologia, a Medicina, a Fisioterapia, entre outros), visando instrumentalizar o desenvolvimento de melhores estruturas em relação às condições e à organização do trabalho, a fim de que os jogadores, que se empenham cotidianamente nesse exercício profissional, possam gozar de qualidade de vida e saúde no trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-12-14

Como Citar

Silva, G. E. da, & Hashimoto, F. (2016). Relações de trabalho dos jogadores profissionais de poker: do cotidiano de trabalho à saúde do jogador. Cadernos De Psicologia Social Do Trabalho, 19(2), 221-241. https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v19i2p221-241