O assédio moral no contexto universitário

o caso de uma IFES em Minas Gerais

Palavras-chave: Assédio moral, Instituição de ensino, Saúde mental, Servidores técnico-administrativos, Trabalho

Resumo

O artigo se baseia em um estudo sobre a vivência do assédio moral por servidores técnico-administrativos de uma instituição federal de ensino superior de Minas Gerais. A pesquisa teve por objetivos identificar a ocorrência desse problema, suas consequências e possíveis ações de prevenção. Realizou-se um estudo qualitativo por meio de entrevistas semiestruturadas e em profundidade. Por meio das entrevistas, tentou-se obter informações sobre as características pessoais dos sujeitos em conflito, as particularidades do seu trabalho e o contexto organizacional. Participaram da pesquisa doze servidores que foram ou não vítimas de assédio moral, tendo sido escolhidos, inicialmente, por indicação do sindicato da categoria e, posteriormente, pelo método de Snowball (Bola de Neve). Os resultados confirmam outros obtidos em instituições de ensino superior, revelando formas importantes de violência moral nesse contexto e sugerindo a presença de um grupo dominante na instituição, que dita normas e regras de comportamento, favorecendo o abuso. Tudo isso aponta a necessidade de medidas de prevenção e combate ao problema, além da sua divulgação, dando publicidade a tais formas de conduta, para que todos possam reconhecê-las, denunciá-las e, se possível, preveni-las.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Aguiar, M. R. M. G. (2008). Assédio moral: problema antigo, interesse recente. Revista Eletrônica Juslaboris, 4 (63), 54-68.

Araújo, A. R. (2012). O assédio moral organizacional. São Paulo: Ltr.

Arenas, M. V. S. (2013). Assédio moral e saúde no trabalho do servidor público do judiciário: implicações psicossociais. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Bambirra, F. M. O. (2018). O assédio moral na administração pública federal e do Estado de Goiás. Recuperado de http://www.rotajuridica.com.br.

Bardin, L. (2009). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Barreto, M. M. S. (2005). Assédio moral: a violência sutil – Análise epidemiológica e psicossocial no trabalho no Brasil. Tese de Doutorado, Programa de Estudos Pós Graduados em Psicologia Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

Barreto, M. M. S. (2013). Violência, saúde, trabalho: uma jornada de humilhações (3a ed.). São Paulo: EDUC.

Biernarcki, P. & Waldorf, D. (1981). Snowball sampling-problems and techniques of chain referral sampling. Sociological Methods and Research, 10 (2), 141-163.

Bradaschia, C. A. (2007). Assédio moral no trabalho: a sistematização dos estudos sobre um campo em construção. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Administração de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo.

Calil, A. M. B. (2013). Assédio no trabalho: aprimore seu conhecimento sobre o assunto, sabendo identificá-lo e como proceder em sua ocorrência. Recuperado de http://www.maxieduca.com.br [27 out. 2017]

Caran, V. C. S., Secco, I. A. O., Barbosa, D. A., & Robazzi, M. L. C. C. (2010). Assédio moral entre docentes de instituição pública de ensino superior do Brasil. Acta Paulista de Enfermagem, 23 (6), 737-744.

Cervo, A. L, Bervian, P. A., & Silva, R. (2007). Metodologia científica (6ª ed.). São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Clot, Y. (2005). Travail et santé. Revue Psycho Media, 2, 7-15.

Creswell, J. W. (2010). Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto (3ª ed.). Porto Alegre: Artmed.

Franco, M. L. (2008). Análise de conteúdo (3ª ed.). Brasília: Liber.

Freitas, M. E., Heloani, J. R., & Barreto, M. M. S. (2008). Assédio moral no trabalho. São Paulo: Cengage Learning.

Goodman, L. (1961). Snowball sampling. Annals of Mathematical Statistics, 32 (1), 148-170.

Guimarães, C. A., Cançado, V. L., & Lima, R. J. C. (2016). Workplace moral harassment and its consequences: a case study in a federal higher education institution. Revista de Administração, 51 (2), 151-164.

Hirigoyen, M. F. (2014). Assédio moral: a violência perversa do cotidiano. (M. H. Kühner, trad.). Rio de Janeiro: Bertrand.

Hirigoyen, M. F. (2015). Mal-estar no trabalho: redefinindo o assédio moral. Rio de Janeiro: Bertrand.

Jacoby, A. R., Falcke, D., Lahm, R. C., & Nunes, G. J. (2009). Assédio moral: uma guerra invisível no contexto empresarial. Revista Mal-Estar e Subjetividade, 9 (2), 619-645.

Mallmann, F. (2010). Especialistas ensinam a identificar a prática do assédio moral no trabalho. Revista Donna. Recuperado de https://gauchazh.clicrbs.com.br/donna/noticia/2010/07/especialistas-ensinam-a-identificar-a-pratica-do-assedio-moral-no-trabalho-cjpmtcg2201qfvtcn92mww1f1.html

Martins, S. P. (2013). Assédio moral no emprego (2ª ed.). São Paulo: Atlas.

Minassa, A. P. (2012). Assédio moral no âmbito da administração pública brasileira (1ª ed.). São Paulo: Habermann.

Nakamura, A. P. & Fernandez, R. A. (2004). Assédio moral. Aletheia, 19, 69-74.

Nunes, T. S. & Tolfo, S. R. (2013). A dinâmica e os fatores organizacionais propiciadores à ocorrência do assédio moral no trabalho. Revista de Gestão e Secretariado, 4 (2), 90-113.

Nunes, T. S., Tolfo, S. R., & Nunes, L. S. (2013). O assédio moral no trabalho em universidade sob a perspectiva dos observadores: casos presenciados e, ou, conhecidos. In Anais do X Coloquio de Gestión Universitaria em América del Sur (pp. 1-12). Buenos Aires.

Pamplona Filho, R., Lago Junior, A., & Braga, P. S. (2016). Noções conceituais sobre o assédio moral na relação de emprego. Revista Direito Unifacs, 190, 1-35.

Polit, D. F., Beck, C. T., & Hungler, B. P. (2004). Fundamentos de pesquisa em enfermagem: métodos, avaliação e utilização (5ª ed.). Porto Alegre: Artmed.

Prata, M. R. (2008). Anatomia do assédio moral no trabalho: uma abordagem interdisciplinar. São Paulo: Ltr.

Rodrigues, M. & Freitas, M. E. (2014). Assédio moral nas instituições de ensino superior: um estudo sobre as condições organizacionais que favorecem sua ocorrência. Cadernos Ebape.br, 12 (2), 284-301.

Schiavi, M. (2011). Ações de reparação por danos morais decorrentes da relação de trabalho (4ª ed.). São Paulo: Ltr.

Seligmann-Silva, E., Bernardo, M. H., Maeno, M., & Kato, M. (2010). O mundo contemporâneo do trabalho e a saúde mental do trabalhador. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 35 (122), 187-191.

Soares, A. & Oliveira, J. A. (2012). Assédio moral no trabalho. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 37 (126), 195-202.

Soboll, L. A. (2008). Assédio moral/organizacional: uma análise da organização do trabalho. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Souza, J. D. (2011). As chefias avassaladoras: a face oculta da tirania e do assédio moral nas empresas e o que fazer para acabar com essa prática devastadora. São Paulo: Novo Século.

Ventura, E. F. (2015). O assédio moral em uma instituição federal de ensino: o caso UFOP. Dissertação de Mestrado em Administração, Fundação Mineira de Educação e Cultura, Belo Horizonte.

Vieira C. E. C., Lima, F. D. P. A., & Lima, M. E. A. (2012). E se o assédio não fosse moral? Perspectivas de análise de conflitos interpessoais em situações de trabalho. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 37 (126), 256-268.

Publicado
2019-12-17
Como Citar
Gomes, L., & Lima, M. (2019). O assédio moral no contexto universitário. Cadernos De Psicologia Social Do Trabalho, 22(1), 1-14. https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v22i1p1-14
Seção
Artigos Originais