Olhar, ser olhado e olhar-se: notas sobre o uso da fotografia na pesquisa em psicologia social do trabalho

Autores

  • Leny Sato Universidade de São Paulo; Instituto de Psicologia; Departamento de Psicologia Social e do Trabalho

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v12i2p217-225

Palavras-chave:

Psicologia social do trabalho, Metodologia, Etnografia, Máquina fotográfica, Fotografia, Feira livre

Resumo

Após breve reflexão sobre os sentidos do olhar para a construção do conhecimento, teço considerações sobre o uso da máquina fotográfica na pesquisa em psicologia social do trabalho. Parto da ideia de que a construção de conhecimento é um processo de construção de visibilidades expressas tanto pela própria fotografia, como por palavras. A máquina fotográfica funcionou como mediação entre pesquisadora e pesquisados, na qual a promessa de fixação da imagem abriu espaços que potencializaram meu conhecimento dos valores sociais que sustentam a feira livre, das feições dos processos que a organizam, notadamente a sua organização em rede, e da estreita relação entre trabalho, arte e sociabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-12-01

Como Citar

Sato, L. (2009). Olhar, ser olhado e olhar-se: notas sobre o uso da fotografia na pesquisa em psicologia social do trabalho. Cadernos De Psicologia Social Do Trabalho, 12(2), 217-225. https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v12i2p217-225

Edição

Seção

nd