Síndrome de burnout e projeto de ser

Autores

  • Fernando Gastal de Castro Universidade Federal de Santa Catarina; Departamento de Psicologia
  • José Carlos Zanelli Universidade Federal de Santa Catarina; Departamento de Psicologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v10i2p17-33

Palavras-chave:

Burnout, Projeto de ser, Existencialismo, Significado do trabalho e Síndrome de burnout

Resumo

O esgotamento físico e emocional em função do trabalho tem se tornado uma situação cada vez mais comum dentro das organizações nos dias atuais. Desde a década de setenta ele tem sido definido como síndrome de burnout. Seus pesquisadores têm sustentado que burnout se desenvolve como uma resposta aos estressores crônicos presentes nas organizações de trabalho. Porém, o estado atual do conhecimento sobre o processo de desenvolvimento de burnout tem se evidenciado, para muitos, como um problema teórico ainda não resolvido. Na busca de compreender tal processo, que se inicia com a experiência de estresse crônico e chega à exaustão, a despersonalização e a diminuição da realização pessoal, uma variável importante no conjunto desse fenômeno não tem recebido um tratamento científico adequado, qual seja: a relação do profissional com seu projeto para o futuro ou, mais precisamente, a relação do profissional com o fracasso do futuro projetado. A partir da utilização da definição de projeto de ser de Sartre, buscou-se evidenciar a relevância de se articular teoricamente a definição de projeto de ser com o processo de desenvolvimento da síndrome de burnout, para um avanço na compreensão desse fenômeno complexo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-01

Como Citar

Castro, F. G. de, & Zanelli, J. C. (2007). Síndrome de burnout e projeto de ser. Cadernos De Psicologia Social Do Trabalho, 10(2), 17-33. https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v10i2p17-33

Edição

Seção

Artigos