A relação entre a positividade do trabalho e a submissão do indivíduo à realidade: elementos para a reflexão da Psicologia

Autores

  • Juliana de Castro Chaves Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v15i1p33-48

Palavras-chave:

Trabalho, Psicologia, Teoria Crítica

Resumo

Este artigo é resultado de pesquisa teórica em que se discutem os elementos necessários para a análise crítica de algumas problematizações do trabalho predominantes no mundo atual. Seu objetivo é oferecer bases para a apreensão do trabalho nas relações sociais concretas e para a reflexão sobre afirmativas que fazem apologia ao trabalho. Para tanto, são desenvolvidas as contribuições de Marx e de Freud incorporadas pela Teoria Crítica da Sociedade, vinculada à Escola de Frankfurt, especialmente por Marcuse. Nessa discussão, pode-se afirmar que a relação estabelecida por Marx entre essência e existência e entre natureza e história indica que o conceito de trabalho não é supra-histórico e, ainda, que o olhar otimista sobre o trabalho apresenta inconsistências, pois faz uma apreensão imediata de suas conquistas, realiza uma microanálise desconectada das contradições da sociedade capitalista e tenta resolver o conflito entre capital e trabalho por meio da harmonização das relações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-06-01

Como Citar

Chaves, J. de C. (2012). A relação entre a positividade do trabalho e a submissão do indivíduo à realidade: elementos para a reflexão da Psicologia. Cadernos De Psicologia Social Do Trabalho, 15(1), 33-48. https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v15i1p33-48

Edição

Seção

Artigos