Trabalho e produtivismo: saúde e modo de vida de docentes de instituições públicas de Ensino Superior

  • Izabel Cristina Ferreira Borsoi Universidade Federal do Espírito Santo
Palavras-chave: Intensificação do trabalho docente, Saúde, Modo de vida, Produtividade, Precariedade

Resumo

Este artigo tem por objetivo discutir a intensificação do trabalho e suas implicações no modo de vida e na saúde de docentes do ensino público superior. Ele teve como base pesquisa realizada em uma universidade pública federal e aborda condições e jornada de trabalho, formas de organização e de efetivação de atividades docentes, além de sentimentos e modos de sofrimento e adoecimento indicados por 96 professores efetivos (56 homens e 40 mulheres), vinculados ou não a programas de pós-graduação. Os resultados apontam que a maioria qualifica seu trabalho como precário, sobretudo quanto à infraestrutura material; julga trabalhar sob forte exigência de atingir metas de produtividade - esta considerada fundamentalmente como sendo a publicação; e estende a jornada para o espaço doméstico. Parte significativa dos entrevistados apresenta queixas quanto à sua saúde, sendo predominantes aquelas de ordem psicoemocional e/ou psicossomática. A maioria dos casos de adoecimento é desconhecida pela administração universitária.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-06-01
Como Citar
Borsoi, I. (2012). Trabalho e produtivismo: saúde e modo de vida de docentes de instituições públicas de Ensino Superior. Cadernos De Psicologia Social Do Trabalho, 15(1), 81-100. https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v15i1p81-100
Seção
Artigos