Território e (in)justiça ambiental: uma agenda científica para a psicologia organizacional e do trabalho

Autores

  • Luís Henrique da Costa Leão Universidade Federal Fluminense (Campos, RJ)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v16i2p183-198

Palavras-chave:

Psicologia organizacional, Psicologia do Trabalho, Território, Justiça Ambiental.

Resumo

Este artigo aborda a relação entre a psicologia organizacional e do trabalho (POT) com as categorias território e justiça ambiental, a fim de discutir elementos para conformar uma agenda de produção de conhecimentos frente às demandas socioambientais do atual modelo produtivo. O objetivo do artigo foi analisar os conceitos de justiça ambiental e território, bem como a produção de conhecimentos em POT, identificando desafios para a investigação e a ação de pesquisadores e profissionais desse campo. Foi realizada uma análise do conceito de território – conforme Milton Santos – e da construção histórica do conceito de justiça ambiental, bem como uma análise dos anais dos Congressos Brasileiros de Psicologia Organizacional e do Trabalho. Os resultados demonstram que a POT não incorporou categorias como território e justiça ambiental e que suas ênfases incidem sobre as esferas intraorganizacionais. Por fim, são discutidas as possibilidades de uma agenda de pesquisa que repense o papel das organizações e dos trabalhadores para fora dos muros institucionais, entendendo-os a partir de uma visão crítica, em um ambiente e em um território ampliado, que superem uma concepção de responsabilidade socioambiental-corporativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-12-30

Como Citar

Leão, L. H. da C. (2013). Território e (in)justiça ambiental: uma agenda científica para a psicologia organizacional e do trabalho. Cadernos De Psicologia Social Do Trabalho, 16(2), 183-198. https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v16i2p183-198

Edição

Seção

Artigos