[1]
G. F. A. Correia, H. G. Pereira, e A. de P. Carrieri, “‘Ser um ambulante é necessidade que nós temos de trabalhar’: cotidiano e identificação de trabalhadores pipoqueiros de Belo Horizonte”, Cad. Psicol. Soc. Trab., vol. 21, nº 2, p. 165-180, set. 2018.