Texto e têxtil em O Livro de Travesseiro

Autores

  • Andrei Cunha Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i15p20-40

Palavras-chave:

quimono, Sei Shônagon, Peter Greenaway, desconstrutivismo, okashi, pizzazz

Resumo

Este texto é uma proposta de reflexão em três partes sobre o tema “roupa” em O Livro de Travesseiro, de Sei Shônagon (Japão, séculos X–XI), discutindo a importância dos fazeres relacionados ao têxtil na sociedade aristocrática japonesa da Antiguidade; as suas ressonâncias no contexto da moda no século XX; e a maneira como a metáfora escritura-corpo-vestimenta atualiza-se e amplifica-se na adaptação do livro para o cinema. No livro, texto, têxtil e memória confundem-se, formando uma metáfora complexa que é também um comentário sobre a condição feminina na Corte Imperial de Heian. A adaptação da obra para o cinema (O Livro de Cabeceira, de Peter Greenaway, 1996) conta com a colaboração do designer desconstrutivista Martin Margiela, e acrescenta novas camadas interpretativas a esse aglomerado de imagens relacionadas aos atos de escrever, tecer, ler, traduzir, adaptar e desconstruir. O caráter fragmentário da obra literária pode ainda ser lido como em diálogo com o jornalismo de moda do século XX. O ideal estético do okashi, da literatura clássica japonesa, encontra eco no conceito de pizzazz, de Diana Vreeland, assim como no esteticismo da poética modernista. A roupa como metáfora do texto e a ideia de que roupa é texto estão presentes nesses três momentos interpretativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrei Cunha, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorando em Literatura Comparada pelo PPG/Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) — Orientadora: Rita Terezinha Schmidt. Tradutor Público e Intérprete Comercial de Japonês pela Junta Comercial do Estado do Rio Grande do Sul. Professor de Literatura Japonesa e Tradução do Curso de Bacharelado em Letras — Tradutor Japonês/Português da UFRGS, Instituto de Letras, Departamento de Línguas Modernas, Setor de Japonês, Núcleo de Estudos Japoneses (NEJa). Mestre em Relações Internacionais pela Universidade de Hitotsubashi, Tóquio, Japão. Bolsista do Ministério da Educação do Japão de 1994 a 2001. E-mail: <andrei.cunha@ufrgs.br>.

Referências

CAVANAUGH, C. Text and Textile: Unweaving the Female Subject in Heian Writing. Positions: East Asia Cultures Critique, Durham, v.4, n.3, 1996. p.595–636. Disponível em: <http://positions.dukejournals.org/content/4/3/595.citation>. Acesso em: 15 jun. 2011.

CORDARO, M. Cronologia de eventos históricos e literários. In: SEI, S. O Livro do Travesseiro. Tradução de G. Wakisaka, J. Ota, L. Hashimoto, L. Yoshida e M. Cordaro. São Paulo: Editora 34, 2013. p.595–607.

CORDARO, M. Pintura e Escritura do Mundo Flutuante: Hishikawa Moronobu e ukiyoe e Ihara Saikaku e ukiyozôshi. São Paulo: Hedra, 2002.

CORDARO, M. Sobre a Estética de Okashi na Tradução de O Livro-Travesseiro de Sei Shônagon. Revista de Estudos Orientais, v.5. São Paulo: USP, 2006. p.127–137.

DWIGHT, E. The divine Mrs. V. New York Magazine. Nova Iorque, nov. 2002. Disponível em: <http://nymag.com/nymetro/shopping/fashion/features/n_7930/>. Acesso em: 13 ago. 2015.

GREENAWAY, P. The Pillow Book. Roteiro do filme. Paris: Dis Voir, 1996.

GUBAR, S. “The Blank Page” and the Issues of Female Creativity. Critical Inquiry, v.8, n.2, Writing and Sexual Difference (Winter, 1981). p.243–263.

HENITIUK, V. Prefacing Gender: Framing Sei Shônagon for a Western Audience, 1875–2006. In: FLOTOW, L. (Org.). Translating Women. Ottawa: The University of Ottawa Press, 2011. p.239–262.

HENITIUK, V. Worlding Sei Shônagon: The Pillow Book in Translation. Ottawa: University of Ottawa Press, 2012.

IVANOVA, G. Knowing Women: Sei Shônagon’s Makura no Sôshi in Early-Modern Japan, 2012. Faculty of Graduate Studies, Asian Studies, University of British Columbia, Vancouver. Tese de Doutorado. Disponível em: . 238 fl. Acesso em: 22 ago. 2014.

KEENE, D. Anthology of Japanese Literature. Tóquio: Tuttle, 1996.

KITAMURA, K.; SUZUKI, H. Makura no Sôshi Shunshoshô. Tóquio: Seisandô, 1925. Disponível em: Biblioteca Nacional do Parlamento Japonês, <http://dl.ndl.go.jp/info:ndljp/pid/945600>. Acesso em: 6 ago. 2015.

LOSCIALPO, F. Fashion and Philosophical Deconstruction: a fashion in-deconstruction. In: WITT-PAUL, A.; CROUCH, M. (Ed.). Fashion Forward. Oxford: Interdisciplinary Press, 2011. p.13–27.

MINER, E. Comparative Poetics: an intercultural essay on theories of literature. Nova Jérsei: Princeton University, 1990.

MORRIS, I. Introduction. In: SEI, S. The Pillow Book of Sei Shônagon. Tradução de Ivan Morris. Londres: Penguin, 1971. p.9-19.

NAGAI, K. Kaisetsu [解説]. In: SEI, S. Makura no Sôshi. Shinpen Nihon Koten Bungaku Zenshû, v.18. Edição de Kura Toshinori. Tradução e notas de Matsuo Satoshi. Introdução e apêndices de Nagai Kazuko. 7.ed. Tóquio: Shôgakukan, 2011 [primeira edição de 1997]. p.475–509. [新編 日本古典文学全集 18 『枕草子』 / 校注・訳者 — 松尾聡, 永井和子 / 発行者 — 蔵敏則 / 発行所 — 小学館]

O LIVRO DE CABECEIRA (Título original: The Pillow Book). Direção de Peter Greenaway. Produção de Kees Kasander. Roteiro de Peter Greenaway, adaptado da obra Makura no Sôshi, de Sei Shônagon. 1996 (produção); s/d (DVD). 1 filme (120min), DVD, son., color.

OXFORD Dictionaries. Pizzazz. Oxford: Oxford, s/d. Disponível em: <http://www.oxforddictionaries.com/us/definition/american_english/pizzazz>. Acesso em: 15 ago. 2015.

RAUD, R. The Heian Literary System: a tentative model. In: HOCKX, M.; SMITS, I. (Orgs.). Reading East Asian Writing: The Limits of Literary Theory. London: Routledge, p.92–116.

SEI, S. Makura no Sôshi — Nihon Koten Bungaku Zenshû, v.18. Tóquio: Shôgakukan, 2011. [枕草子]

SEI, S. Notes de Chevet. Tradução e notas de André Beaujard. Paris: Gallimard, 2000.

SEI, S. The Pillow Book — the diary of a courtesan in tenth century Japan. Tradução e notas de Arthur Waley. Tóquio: Tuttle, 2011.

SEI, S. The Pillow Book of Sei Shônagon. Tradução e notas de Ivan Morris. Londres: Penguin, 1971.

SHIMONO, H. Prefacio. In: SEI, S. El Libro de la Almohada de la Dama Sei Shônagon. Tradução de Iván Pinto Román, Osvaldo Gavidia e Hiroko Shimono. Lima: Pontificia Universidad Católica del Perú, 2002. p.13–24.

THOMETZ, K. From the library of Diana Vreeland. Books are weapons, Nova Iorque, mar. 2012. Disponível em: <http://www.the-private-library.com/2012/03/27/from-the-library-of-diana-vreeland-2/>. Acesso em: 13 ago. 2015.

VREELAND, D. Diana Vreeland asks, why don’t you. Harper’s Bazaar, Nova Iorque, jun. 2014. Disponível em: <http://www.harpersbazaar.com/culture/features/a2620/diana-vreeland-why-dont-you/>. Acesso em: 12 ago. 2015.

WAKISAKA, G.; CORDARO, M. Sobre a obra, a autora, o contexto e a tradução. In: SEI, S. O Livro do Travesseiro. Tradução de G. Wakisaka, J. Ota, L. Hashimoto, L. Yoshida e M. Cordaro. São Paulo: Editora 34, 2013. p.7–41.

WALLACE, J. Objects of Discourse: Memoirs by Women of Heian Japan. Michigan

ZEAMI, M. Hagoromo de Zeami — o charme sutil. Tradução de Haroldo de Campos, Darci Kusano e Elza Doi. São Paulo: Estação Liberdade, 2005.

Downloads

Publicado

2015-12-09

Como Citar

Cunha, A. (2015). Texto e têxtil em O Livro de Travesseiro. Revista Criação & Crítica, (15), 20-40. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i15p20-40

Edição

Seção

Artigos