A prosa gastronômica de Pellegrino Artusi: cultura, gosto e alteridade em um receituário oitocentista

  • Isabella Magalhães Callia Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Artusi, Etnografia culinária, Interculturalidade alimentar, História da gastronomia, Literatura italiana

Resumo

A presente reflexão é uma leitura interpretativa dos enunciados de três receitas do livro A Ciência na cozinha e a Arte de comer bem – Manual prático para as famílias, compilado por Pellegrino Artusi (1891), considerado o cânone histórico da culinária moderna italiana. Discorrendo sobre os conceitos de cultura, gosto e interculturalidade, o foco se encontra na relação entre a inovativa forma escrita da obra e a sua recepção por parte do público. A intenção é de evidenciar que a inclusão do outro nas narrativas das receitas - alternando-se como sujeito e objeto - foi um diferencial na escrita de Artusi, e seus aspectos interculturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabella Magalhães Callia, Universidade de São Paulo
Isabella Callia é  italianista, docente e pesquisadora em História e Cultura da Alimentação, com ênfase nas práticas alimentares da Roma Imperial. Mestranda em Língua, Literatura e Cultura Italianas, pelo Departamento de Letras Modernas, FFLCH/USP, tratando do receituário de Pellegrino Artusi, La Scienza in cucina e L'Arte di mangiar bene (1891).

Referências

ALIGHIERI, Dante. A divina comédia. Tradução e notas Italo Eugenio Mauro. São Paulo: Editora 34, 2000. p 211.

ARTUSI. Pellegrino. La scienza in cucina e l'arte di mangiar bene, a cura di Alberto Capatti. Milano: Rizzoli, 2010.

________________. La scienza in cucina e l’arte di mangiare bene, a cura di Piero Camporesi.Torino: Einaudi, 2007.

BACCIN, Paola G. O dicionário bilíngue para aprendizes: uma ponte entre duas culturas. Tese apresentada à FFLCH/USP para obtenção do título de Livre-Docente em Língua Italiana. São Paulo: Departamento de Letras Modernas, 2012. p. 23 – 45.

BECCARIA, Gian Luigi. Varietà e unità nella língua di Artusi. Il secolo Artusiano. Firenze: Accademia della Crusca, 2011. p. 3.

CAMPORESI, Piero. Introduzione p. XV- LXXVIII. In: ARTUSI, Pellegrino. La scienza in cucina e l’arte di mangiare bene. Torino: Einaudi, 2007.

Cultura. Disponível em: http://www.treccani.it/enciclopedia/cultura_%28Universo-del-Corpo%29/ Acesso em 06 nov 2016.

Gusto. Disponível em: http://www.treccani.it/enciclopedia/gusto/ Acesso em 06 nov 2016.

HALL, Edwar T. Beyond Culture, p. 42 -43, 1976. In: BACCIN, Paola G. O dicionário bilíngue para aprendizes: uma ponte entre duas culturas. São Paulo: Departamento de Letras Modernas, 2012. p. 23 – 45.

Ipotètico. Disponível em http://www.treccani.it/vocabolario/ipotetico/ Acesso em 23 nov 2016.

LA CECLA, Franco. Mangiarsi l’identità. I malintesi alimentari tra culture religiose (1996). Disponível em: http://csr.fondazionesancarlo.it/fondazione/Viewer?cmd=attivitadettaglio&id=131 Acesso em 03 out 2016.

MONTANARI, Massimo. Il cibo come cultura. Bari: Laterza, 2004. p XI – 11.

____________________. Le ragioni di un successo. Il secolo artusiano: atti di convegno: Firenze – Forlimpopoli, 30 marzo – 2 aprile 2011/a cura di Giovanna Frosini e Massimo Montanari. Firenze: Accademia della Crusca, 2012. p. 7 – 15.

Sapore. Disponível em: http://www.treccani.it/vocabolario/sapore/ Acesso em 12 dez 2016.

SCOLLON, Ron; SCOLLON, Suzanne Wong; JONES, Rodney H. Jones. Intercultural Communication: A Discourse Approach. Wiley-Blackwell, 2012. p. 5.

STREET, Brian. Culture is a Verb: Anthropological aspects of language and cultural process. In: Language and Culture. Inglaterra: Multilingual Matters, 1991. p. 23 – 43.

Publicado
2017-06-30
Como Citar
Callia, I. (2017). A prosa gastronômica de Pellegrino Artusi: cultura, gosto e alteridade em um receituário oitocentista. Revista Criação & Crítica, (18), 82-95. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i18p82-95