O caso bug-jargal: tradução,transposição e hipertextualidade no romantismo brasileiro

  • Mateus Roman Pamboukian Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Tradução, Romantismo, Intertextualidade, Literatura Francesa, Literatura Brasileira

Resumo

Este artigo pretende discutir derivações textuais do romance de Victor Hugo Bug-Jargal, especialmente as traduções parciais em verso feitas por Gonçalves Dias e Castro Alves. Também é discutida a influência do romance em outros poemas dos dois autores, notadamente “Canção do exílio” (Gonçalves Dias) e “Cachoeira de Paulo Afonso” (Castro Alves). Por fim, discute-se o papel da literatura traduzida na elaboração do repertório poético da literatura brasileira em seus anos de formação. Para tanto, lançamos mão das contribuições teóricas de Gérard Genette, Haroldo de Campos e Itamar Even-Zohar.

.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mateus Roman Pamboukian, Universidade de São Paulo

Mestrando em Estudos Tradutológicos, Literários e Linguísticos em Francês pela Universidade de São Paulo

Referências

CAMPOS, Haroldo de. Metalinguagem & outras metas: ensaios de teoria e crítica literária. São Paulo: Perspectiva, 2006.

______. Deus e o Diabo no Fausto de Goethe. São Paulo: Perspectiva, 1981.

CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. São Paulo: Edusp, 1977.

______. O romantismo no Brasil. São Paulo: Humanitas, 2003.

DIAS, Antônio Gonçalves. Primeiros cantos. Belo Horizonte: Autêntica, 1998.

______. Últimos cantos. Londrina: Redacional, 2016.

EVEN-ZOHAR, Itamar. “The position of translated literature within the literary polysystem”. In: VENUTI, Lawrence (Ed.). The Translation Studies Reader. New York: Routledge, 2000. Capítulo 15, p.192-197.

______. Em busca de Castro Alves tradutor. In: GUERINI, Andréia; TORRES, Marie-Hélène C.; COSTA, Walter Carlos. (Orgs.). Literatura traduzida e literatura nacional. Rio de Janeiro: 7Letras, 2008. p. 121-132.

FALEIROS, Álvaro. Três Mallarmés: traduções brasileiras. Aletria, Belo Horizonte, v. 22, n. 1, p. 17-31, 2012.

GENETTE, Gérard. Palimpsestes: la littérature au second degré. Paris: Seuil, 1982.

HUGO, Victor. Bug-Jargal. Paris: Ollendorf, 1910.

______. Bug-Jargal: o libertador negro. Tradução de Adolfo de Bezerra de Menezes Neto. Salvador: Livraria Progresso Editora, 1947.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Vira e mexe nacionalismo: paradoxos do nacionalismo literário. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

RIBEIRO, Maria Aparecida. A aurora e o crepúsculo: a recepção de Bug-Jargal e a questão racial no Brasil. Biblos, Coimbra, v. 1, p. 87-110, 2003.

TAVARES BASTOS, Cassiano. Versões poéticas brasileiras de Victor Hugo. Petrópolis: Artes Gráficas, 1952.
Publicado
2019-10-13
Como Citar
Pamboukian, M. (2019). O caso bug-jargal: tradução,transposição e hipertextualidade no romantismo brasileiro. Revista Criação & Crítica, 1(24), 131-145. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v1i24p131-145