Dramaturgia e resistência: pesquisa, poder e espaço como dispositivos de criação e crítica

Autores

  • Débora de Souza Universidade Federal da Bahia
  • Rosa Borges Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i28p398-418

Palavras-chave:

Filologia, Dramaturgia, Texto teatral, Nivalda Costa

Resumo

No âmbito da Filologia, em sua relação com outros saberes, conforme procedimentos metodológicos da crítica textual, buscamos construir um conhecimento a respeito de parte da escrita dramatúrgica da baiana Nivalda Costa, mulher negra que atuou de forma engajada nos campos do teatro, da literatura e da televisão, principalmente, nas décadas de 1970, 1980 e 1990. Tomamos para análise a Série de estudos cênicos sobre poder e espaço (SECPE) elaborada no período de 1975 a 1980, em tempos de ditadura militar, considerando os seis textos teatrais que a compõem, lidos por nós como textos-peças-manifestos, bem como outros documentos, da imprensa, da censura e do espetáculo, relacionados a esses textos. No tecer da série, escritura subversiva, por meio de pesquisas e experimentos, os conceitos de poder e espaço são tomados como principais dispositivos de criação e crítica, operadores mobilizados, estrategicamente, na proposta estética e ideológica, na produção de conhecimento, prática de resistência. Para tanto, recorremos ao Arquivo Hipertextual do dossiê da SECPE, acessível por meio do website http://acervonivaldacosta.com, plataforma composta por edições e documentos que adotamos como fonte de pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Isabela Santos de; BORGES, Rosa. Edição e crítica filológica do texto teatral censurado. Revista da ABRALIN, v.16, n.3, p. 19-49, jan./abr. 2017. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/abralin/article/view/52301. Acesso em: 10 set. 2017.

BORGES, Rosa; SOUZA, Arivaldo Sacramento de. Filologia e edição de texto. In: BORGES, Rosa et al. Edição de texto e crítica filológica. Salvador: Quarteto, 2012. p. 15-59.

CARVALHO, Rosa Borges Santos. Poemas do Mar de Arthur de Salles: edição crítico-genética e estudo. 2002. xxxvi + 809 + 56 il. 2v. Tese (Doutorado em Letras) Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador.

COSTA, Nivalda Silva. Série de estudos cênicos sobre poder e espaço. [Entrevista cedida a] Débora de Souza. Salvador, out. 2010. 1 CD. Local: Biblioteca do Centro de Estudos Afro-Orientais – CEAO/UFBA.

COSTA, Nivalda Silva. Vegetal vigiado. [Entrevista cedida a] Débora de Souza. Salvador, fev. 2009. 1 CD. Local: Sociedade Amigos da Cultura Afro-Brasileira – AMAFRO.

COSTA, Nivalda Silva. Casa de cães amestrados. 1980a, 19 folhas.

COSTA, Nivalda Silva. Casa de cães amestrados – Relatório cênico. [Salvador, 1980b]. 1 folha datiloscrita.

COSTA, Nivalda Silva. Glub! Estória de um espanto. 1979, 10 folhas.

COSTA, Nivalda Silva. Anatomia das feras. 1978a, 12 folhas.

COSTA, Nivalda Silva. Vegetal Vigiado. [1978b], 16 folhas.

COSTA, Nivalda Silva. Vegetal vigiado. 1977, 10 folhas.

COSTA, Nivalda Silva. Ciropédia ou A iniciação do príncipe, O pequeno príncipe. 1976, 13 folhas.

COSTA, Nivalda Silva. Aprender a nadar. 1975, 7 folhas.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Tradução Luiz Orlandi e Roberto Machado. São Paulo: Graal, 2006 [1968].

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Tradução Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. Rio de janeiro: Ed. 34, 1995 [1980]. v.1.

DOUXAMI, Christine. Teatro negro: a realidade de um sonho sem sono. Afro-Ásia, Salvador, Centro de Estudos Afro-Orientais, 2001. p. 313-363. Disponível em: http://redalyc.uaemex.mx/redalyc/pdf. Acesso em: 27 nov. 2010.

DUCROT, O. O dizer e o dito. Campinas: Pontes, 1987.

FAGUNDES, Coriolano de Loyola Cabral. Censura & liberdade de expressão. São Paulo: Edital, 1974.

FARIA, Alexandre; PENNA, João Camillo; PATROCINIO, Paulo Roberto Tonani do. Modulações da margem. In: ______ (org.). Modos da Margem: figurações da marginalidade

na cultura brasileira. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2015. p. 19-43.

FREITAS, Rafael. Arembepe: museu a céu aberto para contar história da aldeia hippie e seus anos loucos. Correio da Bahia, Salvador, 28 set. 2016. Disponível em: https://www2.correio24horas.com.br. Acesso em: 20 ago. 2018.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Tradução Roberto Machado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2005 [1979].

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. Tradução Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal, 1999 [1976].

FRANCO, Aninha. O teatro na Bahia através da imprensa: século XX. Salvador: FCJA; COFIC; FCEBA, 1994.

GUINSBURG, Jacó. Brecht: Baal Dialeta. In: ______. Da cena em cena: ensaios de teatro. São Paulo: Perspectiva, 2007. p. 101-104.

GUMBRECHT, H. U. Los poderes de la Filología: dinámicas de una práctica académica del texto. Tradução A. Mazzucchelli. México: Universidad Iberoamericana, 2007 [2003].

HISSA, Cássio Eduardo Viana. Entrenotas: compreensões de pesquisa. Belo Horizonte: EDUFMG, 2017 [2013].

LAFETÁ, João Luiz. 1930: a crítica e o Modernismo. São Paulo: Duas Cidades: Ed. 34, 2000 [1974].

LEÃO, Raimundo Matos de. Transas na cena em transe: teatro e contracultura na Bahia. Salvador: EDUFBA, 2009.

MARQUES, Reinaldo. O arquivo literário e as imagens do escritor. In: SOUZA, Eneida Maria de; TOLENTINO, Eliana da Conceição; MARTINS, Anderson Bastos. O futuro do presente: arquivo, gênero e discurso. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2012. p. 59-88.

PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. Tradução J. Guinsburg e Maria Lúcia Pereira. São Paulo: Perspectiva, 2008 [1996].

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do Poder e Classificação Social. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (org.). Epistemologias do Sul. Coimbra: Almedina/CES, 2009. p. 72-117.

RISÉRIO, Antonio. Movimentos negros hoje. In: ______. A utopia brasileira e os movimentos negros. São Paulo: Editora 34, 2007. p. 353-387.

ROLNIK, Suely. A hora da micropolítica. [Entrevista cedida a] Fernández Polancos e Antonio Pradel. Humboldt: revista do Goethe Institut Brasilien, Munique, jun. 2016 [2015]. Disponível em: https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/fok/rul/20790860.html. Acesso em: 20 nov. 2018.

ROLNIK, Suely. Entrevista: Suely Rolnik. [Entrevista cedida a] Pedro Britto. Redobra, Salvador, n. 8, 18 nov. 2010. Disponível em: http://www.corpocidade.dan.ufba.br/redobra/r8. Acesso em: 20 nov. 2018.

SAID, Edward. O regresso à filologia. In: ______. Humanismo e crítica democrática. Tradução Rosaura Eichenberg. São Paulo: Cia das Letras, 2007 [2004]. p. 80-109.

SCHNEIDER, Michel. O outro eu. In: SOUZA, Eneida Maria de; MIRANDA, Wander Melo (org.). Crítica e coleção. Belo Horizonte: EDUFMG, 2011. p. 16-31.

SONTAG, Susan. Abordando Artaud. In: ______. Sob o signo de Saturno. Tradução Ana Maria Capovilla. São Paulo: L&PM, 1986. p. 15-57.

TELES, Gilberto Mendonça. Vanguarda europeia e modernismo brasileiro: apresentação dos principais poemas metalinguísticos, manifestos, prefácios e conferências vanguardistas, de 1857 a 1972. Rio de janeiro: Vozes, 2009.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

Souza, D. de, & Borges, R. (2020). Dramaturgia e resistência: pesquisa, poder e espaço como dispositivos de criação e crítica. Revista Criação & Crítica, (28), 398-418. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i28p398-418