Música e literatura em Pauliceia Desvairada de Mário de Andrade: uma análise do verso harmônico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i31p212-227

Palavras-chave:

Música e literatura, Modernismo, Mário de Andrade, Verso harmônico

Resumo

Em Pauliceia desvairada (1922), Mário de Andrade procurou ensaiar uma relação particular entre literatura e música nomeada pelo próprio no “Prefácio interessantíssimo” como verso harmônico. Embora isso seja algo relativamente bem conhecido, a investigação efetiva do diálogo entre campos artísticos realizada pela figura central do Modernismo brasileiro praticamente não foi considerada por historiadores da literatura e críticos. Prendemos nesse artigo investigar o verso harmônico e, assim, refletir sobre o primeiro experimento modernista de Mário de Andrade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Enrique Valarelli Menezes, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Pós-doutorando do Programa avançado de cultura contemporâneo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PACC-UFRJ).

Carlos Pires, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestre e Doutor em Letras (Teoria Literária e Literatura Comparada) pela Universidade de São Paulo e professor adjunto do Departamento de Ciência da Literatura da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Realiza pesquisa de pós-doutorado no Instituto de Estudos Brasileiros - USP. Atua de maneira interdisciplinar nos seguintes temas: Modernismo, Lírica, Literatura e Artes Plásticas, Canção Popular, Literatura e Sociedade e Literatura para crianças.

Referências

ADORNO, T. W. Teoria estetica. Lisboa: Edicoes 70, 1988.

ANDRADE, Mário de. Poesias completas. Belo Horizonte: Villa Rica,1993.

ARGAN, Giulio Carlo. Arte moderna: do iluminismo aos movimentos contemporâneos. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

AVANCINI, José Augusto. Expressão plástica e consciência nacional na crítica de Mário de Andrade. Porto Alegre: Editora da Universidade/ UFRGS, 1998.

BERRIEL, Carlos E. O. “A Uiara enganosa”. P. 133–77 in Mário de Andrade hoje. São Paulo: Ensaio, 1999.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Editora Cultrix, 1970.

CANDIDO, Antonio. O observador literário. 3a ed., rev.ampliada pelo autor. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2004.

CANDIDO, Antonio. “Dialética da malandragem”. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, 1970.

CANDIDO, Antonio. O estudo analítico do poema. 3. ed. São Paulo: Humanitas - FFLCH/USP, 1996.

CUNHA, Bruna Araujo. “Ruas do meu São Paulo : notações sensoriais e visões críticas na poética de Mário de Andrade”. Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2014.

DAHLHAUS, C. Estética musical. Lisboa: Edições 70, 1991.

DASSIN, Joan. Política e poesia em Mário de Andrade. São Paulo: Duas Cidades, 1978.

DUARTE, Paulo. Mário de Andrade por ele mesmo. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 1977.

ELIAS, Norbert. A sociedade de corte: investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

FRAGELLI, Pedro. “De la Parole vers la Musique : Mário de Andrade à la Recherche d’une Langue Brésilienne”. Savoirs en Prisme 04:77–97, 2015.

FRAGELLI, Pedro Coelho. “A Paixão segundo Mário de Andrade”. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

FREUD, Sigmund. “A significação antitética das palavras primitivas”. in Obras Completas. Vol. XI. Rio De Janeiro: Imago, 2006.

FREUD, Sigmund. “O mal-estar na civilização”. in Obras Completas. Vol. XVIII. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

JARDIM, Eduardo. Eu sou trezentos: Mário de Andrade: vida e obra. Rio de Janeiro: Edições de Janeiro, 2015.

JOYEUX-PRUNEL, B. Les Avant-gardes artistiques. Une histoire transnationale (Vol. 1) 1848-1918. Paris: Gallimard, Folio Histoire, 2016.

JOYEUX-PRUNEL, B. Les Avant-gardes artistiques. Une histoire transnationale (Vol.2), 1918-1945. Paris: Gallimard, Folio Histoire, 2017.

KNOLL, Victor. Paciente arlequinada: uma leitura da obra poética de Mário de Andrade. São Paulo: Editora HUCITEC em convênio com a Secretaria de Estado da Cultura, 1983.

LAFETÁ, João Luiz. Figuração da intimidade: imagens na poesia de mario de andrade. São Paulo: Martins Fontes, 1986.

LAFETÁ, João Luiz. “A representação do sujeito lírico na Paulicéia desvairada”. P. 348–71 in A dimensão da noite e outros ensaios, Espírito crítico. São Paulo: Duas Cidades / Editora 34, 2004.

LOPEZ, Telê Porto Ancona, Mário de Andrade, e José Aderaldo Castello. Mariodeandradiando. São Paulo: Hucitec, 1996.

MARQUES, Raniere de Araújo. “Modernização estética e sujeitos periféricos em Paulicéia Desvairada de Mário de Andrade”. Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2014.

MAUSS, M.; HUBERT, H. Sobre o sacrifício. São Paulo: Cosac Naify, 2005.

MORAES, Marcos Antonio de. “Pauliceia desvairada nas malhas da memória”. O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira 24(2):173, 2015.

MORSE, Richard M. Formação histórica de São Paulo: da comunidade à metrópole. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1970.

PASINI, Leandro. “A apreensão do desconcerto: subjetividade e nação na poesia de Mário de Andrade”. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

PAULA, Rosângela Asche de. “A presença do expressionismo em Paulicéia Desvairada”. Manuscrítica. Revista de Crítica Genética, 2005.

SCHWARZ, Roberto. A sereia e o desconfiado: ensaios críticos. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

TÉRCIO, Jason. Em busca da alma brasileira – biografia de Mário de Andrade. Rio de Janeiro: Primeira Pessoa, 2019.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

Menezes, E. V., & Pires, C. (2021). Música e literatura em Pauliceia Desvairada de Mário de Andrade: uma análise do verso harmônico. Revista Criação & Crítica, 31(31), 212-227. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i31p212-227

Edição

Seção

Artigos