"Poética natural, poética forçada", de Édouard Glissant

Autores

  • Thadeu C. Santos Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
  • Henrique Provinzano Amaral Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i32p149-161

Palavras-chave:

Relação, Poesia caribenha, Édouard Glissant, Cultura popular, Oralidade

Resumo

Neste artigo, Édouard Glissant resume suas principais proposições para as poéticas da Relação, configuradas em torno do conflito entre o crioulo e o francês tal qual se deu (e se dá) na Martinica. A Relação, grafada por Glissant com R maiúsculo, se opõe aqui ao Ser. A subjetividade de quem diz, traçada em jogo na trama interpoética caribenha, decanta de uma crítica ao ser unificado e circunscrito, ao qual se oporia o ser-da-Relação. Este, uma vez incompleto, tenderia a se completar, mas sem nunca terminar de fazê-lo, na vivência com os Outros. É não só incompleto, mas móvel e mutante em sua incompletude, conforme as relações se transformam e se engajam em diferentes relações com diferentes Outros. Glissant nos provoca a perceber essas dinâmicas de identificação e opacidade na consulta dos resultados dessas linguagens, produtos da experiência entre as poéticas livre e forçadas. Essa compreensão não é apenas pertinente para analisarmos as cenas contemporâneas de arte e seus processos de exclusão, mas sim, e principalmente, pelo valor de transgressão da cultura popular frente os esquemas de classificação, do cânone e da história da arte e da literatura. Ainda mais, favorece grandemente os estudos das poéticas da voz, que encontram na via da Relação uma autonomia poética e discursiva dentro dos sistemas literários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thadeu C. Santos, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Thadeu C Santos fez graduação em Produção Editorial (ECO/UFRJ) e mestrado em Literatura, Cultura e Contemporaneidade (Letras/PUC-Rio), programa em que segue como doutorando, com pesquisa sobre os livros de Wlademir Dias-Pino. É assistente editorial no Grupo Editorial Record. Com Juliana Travassos, edita a coleção A Galope (kza1/Garupa), que já publicou doze livros; e com Maria Bogado e Bernardo Oliveira, organizou o programa de poesia e performance Subcena (kza1/QTV). Vive no Rio de Janeiro. Email: thadeucsantos@gmail.com

João Luiz Borogan Cerqueira fez graduação em Ciências Sociais e mestrado em Identidades e Culturas Brasileiras (IEB/USP), com monografia sobre o autor João Antônio. Atualmente desenvolve sua pesquisa de doutorado no programa de Meios e Processos Audiovisuais (ECA/USP), sobre o diretor português Pedro Costa. Trabalha como revisor de textos e vive em São Paulo. Email: joao.borogan@gmail.com

Henrique Provinzano Amaral, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Doutorando em Letras Estrangeiras e Tradução pela FFLCH-USP, sob orientação do Prof. Dr. Álvaro Faleiros. Email: henrique.provinzano.amaral@usp.br

Referências

GLISSANT, Édouard. Poétique de la Relation. Paris: Gallimard, 1990.

GLISSANT, Édouard. Poétique naturelle, poétique forcée. In: GLISSANT, Édouard. Le discours antillais. Paris: Gallimard, 1997 [1981], p. 401-419.

GLISSANT, Édouard. Free and forced poetiques. Alcheringa, org. Michel Benamou e Jerome Rothenberg, Universidade de Boston, v. 2, n. 2, 1976. Disponível em <https://media.sas.upenn.edu/jacket2/pdf/reissues/alcheringa/Alcheringa_New-2-2_1976.pdf>. Acesso em 06 fev. 2022.

GLISSANT, Édouard. Poética da Relação. Trad. Manuela Mendonça. Porto: Sextante Editora, 2011.

GLISSANT, Édouard. Poética da Relação. Trad. Marcela Vieira e Eduardo Jorge de Oliveira. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2021.

Downloads

Publicado

2022-07-28

Como Citar

Santos, T. C., & Amaral, H. P. (2022). "Poética natural, poética forçada", de Édouard Glissant. Revista Criação & Crítica, (32), 149-161. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i32p149-161