Mémoires marginales et contre-récits: Patrick Chamoiseau e Conceição Evaristo

Autores

  • Pauline Champagnat Universidade de Rennes 2 (França)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i32p111-124

Palavras-chave:

Memória cultural, Escravidão, Oralidade, Patrick Chamoiseau, Conceição Evaristo

Resumo

Nosso artigo pretende interrogar, a partir da tese defendida por Zilá Bernd (2017) sobre o papel do escritor para cumprir as lacunas memoriais, as obras seguintes: Texaco (1992), Un dimanche au cachot (2007), L’esclave vieil homme et le molosse (1997) de Patrick Chamoiseau, e Becos da memória (2017) e Ponciá Vicêncio (2017) de Conceição Evaristo. Completaremos nossas ideias a partir de duas obras teóricas : Écrire en pays dominé (1997) de Chamoiseau e Le discours antillais (1997), de Édouard Glissant. Assim, será possível refletir sobre a ligação entre escrita e resistências. Dessa forma, a figura do escritor que recupera e resgata as narrativas silenciadas aparece como a voz dos que não podem se exprimir e propõe relatar as diversas histórias dos “esquecidos” da História oficial. Refletiremos também sobre o elo entre oralidade e memória coletiva partindo da teoria de Jan Assman (2002). Desta forma, tentaremos entender como poderiam se desenhar linhas de pesquisa em comum entre Caribe/Brasil, as quais, levando em conta as diferenças culturais e geográficas, empreendam agrupar os questionamentos em torno de eixos temáticos comuns.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pauline Champagnat, Universidade de Rennes 2 (França)

Doutoranda em Literatura (português) na Universidade de Rennes 2 (ERIMIT), sob a orientação de Rita-Olivieri Godet (IUF-ERIMIT-Rennes 2) e Pires Laranjeira (FLUC). Professora adjunta no departamento de português da Universidade de Rennes 2.

Referências

ASSMANN, Jan. La mémoire culturelle. Paris : Éditions Flammarion, 2002.

BERND. Zilá. « Memória cultural». In: Em torno da Memória: conceitos e relações. Porto Alegre : Editora Letra 1, 2017. DOI 10.21826/9788563800282245.

BUTEL, Paul. Histoire des Antilles françaises. Paris : Éditions Perrin, 2007.

CHAMOISEAU, Patrick. Un dimanche au cachot. Paris: Gallimard, 2007.

CHAMOISEAU, Patrick. Texaco. Paris: Gallimard, 1992.

CHAMOISEAU, Patrick. Écrire en pays dominé. Paris : Gallimard, 1997.

CHAMOISEAU, Patrick. L’esclave vieil homme et le molosse. Paris : Gallimard, 1997.

CHAMOISEAU, Patrick. Chemin-d’école. Paris : Gallimard, 1994.

CHAMOISEAU, Patrick. Confiant, Raphael. Lettres créoles. Paris: Gallimard, 1999.

DE LANA COSTA, Elisângela. «Becos da memória e do esquecimento». SCRIPTA, Belo Horizonte, v. 18, n. 35, 2014, pp. 67-86.

EVARISTO, Conceição. L’histoire de Ponciá Vicêncio. Paris : Éditions Anacaona, 2015.

EVARISTO, Conceição. Banzo : mémoires de la favela. Paris : Éditions Anacaona, 2016.

EVARISTO, Conceição. Ponciá Vicêncio. Rio de Janeiro: Pallas, 2017a.

EVARISTO, Conceição. Becos da memória. Rio de Janeiro: Pallas, 2017b.

GLISSANT, Édouard. Le discours antillais. Paris : Gallimard, 1997.

POLLAK, Michael. Une identité blessée. Paris : Éditions Métailié, 1993.

SILVA DE MATOS, Manoela. «A oralidade em Ponciá Vicêncio». Boitatá, Londrina, n. 15, 2013, pp. 106-117.

Publicado

2022-07-28

Como Citar

Champagnat, P. (2022). Mémoires marginales et contre-récits: Patrick Chamoiseau e Conceição Evaristo. Revista Criação & Crítica, (32), 111-124. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i32p111-124