Entre a fragmentação e a autodefinição: o entre-lugar permeado por Lucy, de Jamaica Kincaid

Autores

  • Maria Do Carmo Moreira de Carvalho Universidade Estadual do Piauí
  • Sara Regina de Oliveira Lima Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i32p56-71

Palavras-chave:

Lucy, Autodefinição, Entre-lugar, Identidade, Diáspora, Caribe

Resumo

 Homi K. Bhabha (1998) ao falar da noção do entre-lugar nos mostra que há um constante de identidades em trânsito. No processo diaspórico, ao habitar o “centro”, o sujeito que se localiza na “margem” tem a sua identidade fragmentada, resultado do "meio", o qual passa a ocupar. Seguindo essa linha de raciocínio, realizamos no presente trabalho a análise da novela Lucy, de Jamaica Kincaid (1994). Como ponto de partida da investigação, direcionamos o olhar para a formação da identidade da protagonista Lucy diante do entre-lugar/entre-meio, pensado por Bhabha (1998). Para isto, desenvolvemos um diálogo entre a fragmentação do sujeito em face do existir em dois extremos (o centro e a margem), com a concepção de autodefinição, elaborada por Patrícia Hill Collins (2019), e o de excentricidade, cunhado por Linda Hutcheon (1991). A partir da articulação teórica, evidenciamos que a identidade da personagem se constrói mediante a descentralização que, apesar de fragmentar o sujeito, desloca as identidades inatas e unificadas. Inferimos, portanto, que, embora habite o entre-meio que a indefine, Lucy recupera em si a identidade através da recusa do lugar designado a ela enquanto sujeito diaspórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Do Carmo Moreira de Carvalho, Universidade Estadual do Piauí

Mestranda em Letras pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Estadual do Piauí (PPGL-UESPI). Graduada em Letras Português pela Universidade Estadual do Piauí (UESPI).

Sara Regina de Oliveira Lima, Universidade Federal do Piauí

Doutoranda em Letras pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Piauí (PPGEL-UFPI). Mestra em Letras (PPGEL-UFPI). Professora da Universidade Estadual do Piauí (UESPI).

Referências

BHABHA, Homi Kharshedji. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

COLLINS, Patricia Hill. Pensamento feminista negro: conhecimento, ciência e a política do empoderamento. São Paulo: Boitempo, 2019.

DAVIES, Carole Boyce. Mulheres caribenhas escrevem a migração e a diáspora. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 18, n. 3, 747-763, dez 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ref/a/wHdtnsSSBDhhfTtm8TVfs5P/?lang=pt. Acesso em: 11 fev 2022.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. São Paulo: DP&A Editora, 2006.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Minas Gerais: Editora UFMG, 2013.

HALL, Stuart. “Raça, o significante flutuante”. Revista Z Cultural, Rio de Janeiro, n. 18, n. 2, 2018. Disponível em: http://revistazcultural.pacc.ufrj.br/raca-o-significante-flutuante%EF%80%AA/. Acesso em: 15 jun 2020.

HOOKS, Bell. Teoria feminista: da margem ao centro. São Paulo: Perspectiva, 2019.

HOOKS, Bell. Erguer a voz: pensar como feminista, pensar como negra. São Paulo: Elefante Editora, 2019.

HUTCHEON, Linda. Poética do Pós-modernismo: história, teoria e ficção. Rio de Janeiro: Imago, 1991.

KINCAID, Jamaica. Lucy. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 1994.

LORDE, Audre. Irmã Outsider. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

MARINUCCI, Roberto; MILESI, Rosita. Migrantes e refugiados: por uma cidadania universal. Caderno de debates: Refúgio, migrações e cidadanias - Instituto Migrações e Direitos Humanos, São Paulo, v. 1, 53-80, jun 2006. Disponível em: https://www.migrante.org.br/publicacoes/caderno-de-debates-01-refugio-migracoes-e-cidadania/. Acesso em: 10 fev 2022.

MUNANGA, Kabengele. Negritude: usos e sentidos. Belo Horizonte: Autêntica, 2020.

MALDONADO-TORRES, Nelson B. “Analítica da colonialidade e da decolonialidade: algumas dimensões básicas”. In: MALDONADO-TORRES, Nelson; COSTA, Joaze B; GROSFOGUEL, Ramón. Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte; Autêntica Editora, 2018.

SAID, Edward. Cultura e imperialismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

SILVA, Márcia Oliveira. O feminismo pós-colonialista de Jamaica Kincaid: rumo à liberdade. 2012. 148 f. Dissertação. Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2012.

VIVAS, Lívia. Fragmentação e redefinição de si: retrato feminino no romance caribenho Lucy. In: XV ABRALIC - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LITERATURA COMPARADA, 15° edição, 2017, Anais eletrônicos do XV Congresso Internacional da ABRALIC. Rio de Janeiro: Universidade Estadual do Rio de Janeiro, p. 5379-5390.

WALTER, Roland. Afro-América: diálogos literários na diáspora negra das Américas. Recife, Bagaço, 2009.

Downloads

Publicado

2022-07-28

Como Citar

Carvalho, M. D. C. M. de ., & Lima, S. R. de O. (2022). Entre a fragmentação e a autodefinição: o entre-lugar permeado por Lucy, de Jamaica Kincaid. Revista Criação & Crítica, (32), 56-71. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i32p56-71