A poética do convívio nos escritos sobre poesia de Natalia Ginzburg

Autores

  • Iara Machado Pinheiro Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i33p46-63

Palavras-chave:

Literatura italiana, Século XX, Representação literária , Crítica Literária

Resumo

Nas décadas de 1970 e 1980, a escritora italiana Natalia Ginzburg colaborou assiduamente para jornais italianos, como o Corriere della Sera e o La Stampa, com textos sobre literatura e cinema, além de ensaios com reflexões sobre as condições sociais, morais e políticas daquele período. Neste artigo, propomos, inicialmente, uma articulação entre as concepções de Ginzburg relativas à sociedade e à conduta humana e a forma como ela percebia as transformações nos modos de representar ficcionalmente a realidade. Em seguida, apresentamos fragmentos de seus artigos de crítica literária, destacando os seus critérios de leitura e como estes garantiam um desdobramento ético aos mecanismos de composição de um texto literário. Esse percurso nos permite interpretar que a crítica cultural de Ginzburg tem como base um pensamento relacional, isto é, é composta pelo trânsito entre as especificidades das obras comentadas, a condição humana e os modos como a arte consegue representar poeticamente a realidade. Com isso buscamos salientar que a noção de poesia da escritora envolve a conjugação de elementos opostos e garante importância extrema à força de transmissão de uma obra literária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iara Machado Pinheiro, Universidade de São Paulo

Doutoranda do Programa de Letras Estrangeiras e Tradução da Universidade de São Paulo (LETRA/USP).

Referências

ADORNO, Theodor W. “Lírica e sociedade”. In: ADORNO. T. Notas de literatura I. Tradução de Jorge de Almeida. São Paulo: Editora 34, 2003.

GINZBURG, Natalia. Le piccole virtù. Torino: Casa Editrice Einaudi, 2015.

GINZBURG, Natalia. “I nostri figli”. L’Italia Libera, Roma, n. 165, A.11, p. 3, 1944.

GINZBURG, Natalia. “Prefazione”. In: FRANK, A. Diario. Torino: Casa Editrice Einaudi, 2003.

GINZBURG, Natalia. “Parole nella nebbia”. La Stampa, Torino, n. 253, A.115. p. 3, 1981.

GINZBURG, Natalia. Mai devi domandarmi. Torino: Casa Editrice Einaudi, 2014.

GINZBURG, Natalia. La città e la casa. Torino: Casa Editrice Einaudi, 1997.

GINZBURG, Natalia. Vita Immaginaria. Milano: Arnoldo Mondadori Editore, 1974.

GINZBURG, Natalia. Non possiamo saperlo. Torino: Casa Editrice Einaudi, 2001.

GINZBURG, Natalia. As pequenas virtudes. Tradução de Maurício Santana Dias. São Paulo: Companhia das Letras, 2020

GINZBURG, Natalia. Léxico familiar. Tradução de Homero Freitas de Andrade. São Paulo: Companhia das letras, 2018.

PAZ, Octavio. “Analogia e Ironia”. IN: PAZ, O. Os filhos do barro. Tradução de Ari Roitman e Paulina Wacht. São Paulo: Cosac Naify, 2013.

PEJA, Laura. Natalia Ginzburg: “Il Cavalo di troia. Allegria ponderosa e lieve per un teatro della responsabilità”. In PEJA, L. Strategie del comico: Franca Valeri, Franca Rame e Natalia Ginzburg. Firenze: Casa Editrice Le Lettere, 2009.

PICCHIONE, Luciana M. Natalia Ginzburg. Firenze: La nuova Italia, 1978.

RONDINI, Andrea. “Un attimo di felicità. La critica letteraria di Natalia Ginzburg”. Rivista di letteratura italiana, Pisa, v.3, p. 53-85, 2005.

SCARPA, Domenico. “Le strade di Natalia Ginzburg”. In: GINZBURG, N. Le piccole virtù. Torino: Casa Editrice Einaudi, 2015.

Downloads

Publicado

2022-11-11

Como Citar

Pinheiro, I. M. (2022). A poética do convívio nos escritos sobre poesia de Natalia Ginzburg . Revista Criação & Crítica, 33(33), 46-63. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i33p46-63

Dados de financiamento