Os "Jimbandas" em um Defeito de Cor sob a Perspectiva da Analítica Quare e da Decolonialidade

Autores

  • Vinícius Ferreira dos Santos Universidade Federal do Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i36p116-132

Palavras-chave:

jimbandas, gênero, analítica quare, decolonialidade, Ana Maria Gonçalves

Resumo

O presente estudo tem por objetivo analisar os personagens Jongo e Adriano no romance Um defeito de cor (2006) de Ana Maria Gonçalves, sob a perspectiva da analítica quare, que insere a interseccionalidade no escopo das teorias queer. Ambos são denominados de “jimbandas” pela voz narrativa em primeira pessoa, que os situa no campo das relações homossexuais. Tal palavra parece apresentar um histórico significativo, pois surge já em documentos da Santa Inquisição em suas operações no Brasil colonial. Apesar disso, ela designa um grupo identitário provavelmente ainda pouco visibilizado nos estudos críticos de literatura brasileira. Nesse sentido, a obra de Gonçalves presentifica o debate acerca das vivências homossexuais de africanos em diáspora, evidenciando o modo como a política regulatória de corpos de um país patriarcal-cristão colocava sob vigilância sexualidades e expressões de gênero dissidentes. A partir da abordagem da decolonialidade, este trabalho também pretende apresentar certo giro epistêmico, inserindo o sujeito dissidente como produtor de um discurso científico corpo-geolocalizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vinícius Ferreira dos Santos, Universidade Federal do Mato Grosso

Professor efetivo de Língua Portuguesa pelo Estado do Mato Grosso (SEDUC/MT). Doutorado em andamento em Estudos de Linguagem.

Referências

AKOTIRENE, Carla. Interseccionalidade. São Paulo: Pólen, 2019.

ANZALDÚA, Gloria. “To(o) Queer the Writer: Loca, escrita y chicana”. In: Inversions: Writing by Dykes and Lesbians. Vancouver: Press Gang, 1991.

BUTLER, Judith. Corpos em aliança e a política das ruas: notas para uma teoria performativa de assembleia. Trad. Fernanda Siqueira Miguens. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

BUTLER, Judith. Corpos que importam: os limites discursivos do “sexo”. São Paulo: N-1, 2019.

CÉSAIRE, Aimé. Discurso sobre o colonialismo. São Paulo: Veneta, 2020.

CRENSHAW, Kimberle. A intersecionalidade da discriminação de raça e gênero (2002). Disponível em:

http://www.acaoeducativa.org.br/fdh/wp-content/uploads/2012/09/Kimberle-Crenshaw.pdf Acesso em: 23 de mai. de 2023.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Rio de Janeiro: Zahar, 2022.

GONÇALVES, Ana Maria. Um defeito de cor. 15ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2017.

GONZALES, Lélia. Por um feminismo afro-latino-americano: ensaios, intervenções e diálogos. Rio de Janeiro: Zahar, 2020.

GROSFOGUEL, Ramón. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: Transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global, Revista Crítica de Ciências Sociais [Online], 80 | 2008, publicado a 01 outubro 2012, consultado a 28 de agosto 2021. URL: http://journals.openedition.org/rccs/697

HUTCHEON, Linda. Poética do pós-modernismo: história, teoria, ficção. Rio de Janeiro: Imago Ed., 1991.

JOHNSON, E. Patrick. Quare’ Studies or (Almost) Everything I Know about Queer Studies I Learned from My Grandmother. In: MORAIS, F.ernando Luís de. Analítica Quare: como ler o humano. Bahia: Devires, 2020.

LOPES, Nei. Bantos, malês e identidade negra. 4ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2021.

LORDE, Audra. Irmã outsider. Belo Horizonte: Autêntica, 2021.

MOMBAÇA, Jota. Para desaprender o queer dos trópicos: desmontando a caravela queer. 2016 Disponível em:

< https://issuu.com/forumdoc/docs/catalogo_forumdoc2016/s/12144996>. Acesso em 21 de mai. de 2023.

MORAIS, Fernando Luís de. Analítica Quare: como ler o humano. Bahia: Devires, 2020.

MOTT, Luiz. “Relações raciais entre homossexuais no brasil colonial.” Revista de Antropologia. São Paulo, USP, v. 35, n. número. 1992. p. 169-190

MUTHIEN, Bernadette. Queerizando as fronteiras: uma perspectiva africana ativista. In: REA, Caterina; PARADIS, Clarisse Goulart; AMANCIO, Izzie M.adalena Santos. Traduzindo a África Queer. Bahia: Devires, 2018. p. 91-110.

PIEDADE, Vilma. Dororidade. São Paulo: Nós, 2017.

PRECIADO, Paul B. Eu sou o monstro que vos fala. Cadernos PET Filosofia, Curitiba, v.22, n.1, 2021 (2022), pp. 278-331.

REIS, João José. Rebelião escrava no Brasil: a história do levante dos malês em 1935. 3ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

Downloads

Publicado

2023-10-26

Como Citar

Santos, V. F. dos. (2023). Os "Jimbandas" em um Defeito de Cor sob a Perspectiva da Analítica Quare e da Decolonialidade. Revista Criação & Crítica, (36), 116-132. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i36p116-132