Cenas de um discurso monstruoso

Autores

  • Patricia Trindade Nakagome Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i36p52-77

Palavras-chave:

Universidade, Maternidade, Monstruosidade, Escuta

Resumo

Na tentativa de responder a uma chamada para pensar irrupção e reação no meio acadêmico, busquei captar não elementos antagônicos, mas uma imbricada ligação de monstruosidade e amor, inclusive em mim mesma. Para tanto, centrei a discussão em dois textos literários voltados às relações familiares, apostando que, ao olhar para esse meio em que afeto e dor se combinam na formação de pessoas, consiga levantar pontos para refletir sobre a universidade, essa alma mater. Mesclando a leitura das obras com episódios autobiográficos, atento-me especialmente ao caráter movente da filiação, em que filhos e estudantes logo podem ocupar o lugar de pais e professores. Essa dinâmica talvez possa gerar um olhar mais amoroso para o outro e também um reconhecimento da herança monstruosa em si.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Trindade Nakagome, Universidade de Brasília

Professora da Universidade de Brasília. Doutora pelo Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada - USP

Referências

FOUCAULT, Michel. Os anormais: curso no Collège de France (1974-1975). Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010.

GARDEL, Stênio. A palavra que resta. São Paulo: Companhia das Letras, 2021.

GUNDAR-GOSHEN, Ayelet. Despertar os leões. São Paulo: Todavia, 2020.

KAFKA, Franz. Carta ao pai. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

MÃE, Valter Hugo. O filho de mil homens. Rio de Janeiro: Biblioteca Azul, 2016.

MERCADO, Tununa. O tempo de uma poética feminista. Revista Capivara, n. 2. 2018. Disponível em: https://www.revistacapivara.com/poetica-feminista Acesso em 13mai2023.

MUNRO, Alice. O amor de uma boa mulher. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

PACHECO, José. Construtor de pontes. [Entrevista concedida a Maria Júlia Lledó]. Revista E, São Paulo, n.08, p.16-22, fevereiro de 2023.

PEREIRA, Antonio Marcos. Eu queria ser um crítico rosarino. In: CHARBEL, Felipe;

MAGRI, Ieda; GUTIÉRREZ, Rafael (Orgs.). Experimento aberto: invenções no ensaio e na crítica. Belo Horizonte, Relicário, 2021.

ROMPENDO o silêncio. Direção de Giuliano Cedroni e Marina Person. Série documental para HBO, 2021.

PHILIPSON, Gabriel Salvi. Emplasto sísmico?. Crítica Cultural, vol. 15, n.1, p.153-165, jan/jun 2020. Disponível em: https://portaldeperiodicos.animaeducacao.com.br/index.php/ Critica_Cultural/article/view/8626/pdf Acesso em 20jan2023.

PIGLIA, Ricardo. O que é um leitor?. O último leitor. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

PRECIADO, Paul B. Eu sou o monstro que vos fala: relatório para uma academia de psicanalistas. Trad. Carla Rodrigues. São Paulo: Zahar, 2022.

VUONG, Ocean. On Earth We're Briefly Gorgeous: A Novel. Penguin Press, 2019.

VUONG, Ocean. Sobre a terra somos belos por um instante. Rio de Janeiro: Rocco, 2021.

VUONG, Ocean. Time is a Mother. Penguin Press, 2022.

Downloads

Publicado

2023-10-26

Como Citar

Nakagome, P. T. (2023). Cenas de um discurso monstruoso. Revista Criação & Crítica, (36), 52-77. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.i36p52-77